Gurupi/TO – A Justiça de Gurupi, no Estado de Tocantins, condenou os estudantes Guilherme Augusto Renovato dos Santos e João Victor Alves de Castro, respectivamente, a um ano e dois meses e a um ano e seis meses de prisão, respectivamente, por crimes de racismo.
Na madrugada de 10 de dezembro de 2.006, os estudantes maltrataram com ofensas racistas a médica angolana Arminda Mateus Vandunen,quando eram atendidos por ela no Pronto Socorro Municipal da cidade.
Além da condenação, eles ainda terão que pagar 50 dias de multa, tendo como base um trigésimo do salário mínimo (o equivalente a R$ 690,00). Por serem réus primários, o juiz Eduardo Barbosa Fernandes, da 1ª Vara Criminal de Gurupi, concedeu a ambos o direito de cumprirem a pena em regime aberto.
Ambiente fechado
Mesmo assim, os dois terão de se recolher em ambiente fechado nos finais de semana, ficando proibidos de freqüentar lugares públicos e locais festivos aos sábados e domingos. Também terão de prestar serviços à comunidade. A sentença ainda é passível de recurso.
Segundo o estudante de Direito, também angolano, Osvaldo Vandunen, marido da médica, a decisão do juiz de Gurupi condenando os acusados, é uma vitória da Justiça.

Da Redacao