Cuiabá – O cacique kaiapó, Megaron Txucarramãe, deve ser o novo presidente da Fundação Nacional do Índio (Funai), em substituição ao atual presidente Mércio Pereira. Se confirmada a designação do cacique será a primeira vez que uma liderança indígena assume o cargo, desde a criação da Funai, em 1.967.
Os rumores sobre a nomeação aumentaram depois da reunião de Megaron com o atual presidente da Funai esta semana para discutir problemas financeiros e estruturais da instituição. Ele disse que foi chamado à Brasília pelo próprio presidente da Funai para discutir um plano de cargos, carreiras e salários, novos concursos públicos e a reestruturação orçamentária da instituição.
O cacique negou que tenha sido convidado para o cargo, porém, admitiu que Mércio Pereira está preparando a indicação de um indígena para substituí-lo. “Ele não chegou a mencionar o meu nome, mas confirmou que indicará um índio para assumir a Funai”, afirmou.
Megaron é sobrinho do cacique Raoni, um severo crítico da atual administração da Funai. Recentemente Raoni, em carta aberta, pediu a exoneração de Pereira. “Este presidente que está na Funai não gosta de índio. Nós não confiamos mais nesse presidente. Ele só fala nos jornais que índio tem muita terra. Desde que ele falou isso, perdemos a confiança nesse Mércio Pereira Gomes”, disse na carta.
Megaron evitou falar sobre a possibilidade de assumir a Funai. “Seria importante que essa função fosse repassada a um índio. Mas isso se o governo também decidisse mudar a sua mentalidade em relação aos povos indígenas e suas terras”, concluiu.

Da Redacao