Brasília – Na véspera da Audiência Pública convocada pelo Supremo Tribunal Federal para discutir o sistema de cotas, o Partido Democratas (DEM) tentou mudar as regras do jogo do encontro sob o argumento de que, dos 40 participantes, 28 são favoráveis às ações afirmativas.
O argumento dos demos foi rechaçado pelo ministro relator, Ricardo Lewandowski, responsável pela convocação da Audiência para quem o temor dos democratas é infundado porque os debates serão realizados com um número igual de defensores de cada um dos dois lados, todos com o mesmo tempo para falar.
Para o ministro haverá equilíbrio nas posições pró e contra as cotas e ações afirmativas, porque os outros participantes estarão presentes na audiência pública como representantes do estado e das universidades que contam com o sistema de cotas.
Para tentar mudar as regras o DEM havia afirmado que, entre os representantes do Estado, muitos eram do governo, “que patrocina as cotas” e que entre os reitores, muitos já haviam adotado o o sistema.
Ausência
Pelo menos dois dos integrantes do time escalado para fazer a defesa contra as cotas e ações afirmativas desistiram: a antropóloga Yvone Maggie, da UFRJ, comunicou que não comparecerá, o mesmo ocorrendo com a antropóloga Eunice Duhram, da USP.
TV Justiça
A TV Justiça fará a transmissão ao vivo, mas só pode ser sintonizada por antena parabólica com receptor digital. Para saber como sintonizar os canais em cada região, basta acessar http://www.tvjustica.jus.br/sintonizar.php
• Outra opção é acompanhar o serviço on line da TV Justiça, pelo http://www.tvjustica.jus.br/assista_online.php
• A Rádio Justiça fará transmissão na íntegra, ao vivo, que poderá ser sintonizada de três formas: em FM, na frequência 104,7 MHz, em Brasília-DF; na internet, no endereço www.radiojustica.jus.br e via satélite, pelo Brasilsat B4, frequência de descida 3649MHz, polarização vertical, symbol rate 4,399 Mbps, FEC: 3/4, PID de Áudio: 0350.

Da Redacao