S. Paulo – A líder religiosa de matriz africana, Celia Gonçalves, a Makota Celinha, de Belo Horizonte, Minas Gerais, que também é jornalista, disse que falar sobre os 10 anos da Afropress é também refletir sobre a realidade do jornalismo no Brasil.

Ekedi, equede, ajoiê e makota são nomes dados de acordo com a nação do Candomblé para um cargo feminino de grande valor: a de "zeladora dos orixás". 

“Falar de Afropress é falar do que eu como jornalista acredito que deveria ser a mídia em nosso país, quando falasse da maioria da população deste país: uma mídia comprometida com o bem estar social e coletivo de milhões de brasileiros. Afropress para mim é muito mais, que uma mídia negra, é um trabalho social que resgata nossa identidade, nos dá prazer e acma de tudo eleva nossa humanidade. Nos transformando em sujeitos de nossa própria história”.

Identidade

A líder religiosa destacou a identidade do jornalismo praticado pela agência com as demandas históricas da população negra e do povo brasileiro. “Eu sou suspeita, pois sinto Afropress palpitar em mim, como se fosse minha voz, sua voz, a voz de milhões de homens e mulheres falando o que querem e o que sentem. Nos transformando em agentes de comunicação, pois não importa se as escritas, as falas de Afropress saem da minha boca, mas o que me importa é que elas saem com tal propriedade, que me sinto como se eu as tivesse dizendo, pois elas calam em minha alma. Afropress expressa em sua linha editorial, o que sinto sendo mulher negra neste país, tenho uma alma que sangra a todo instante com a violência do racismo, o preconceito e da intolerância religiosa. Parabéns Afropress! Você hoje, me é imprescindível por ser o meu espelho, onde sinto refletida minha alma”, afirmou.

Por sua vez, a deputada e cantora Leci Brandão, do PCdoB de S. Paulo, lembrou que “os veículos de comunicação são armas poderosas na construção, reprodução e sedimentação de valores”. Por isso, uma das lutas que considero das mais importantes no combate ao racismo é a democratização da mídia, com controle da sociedade sobre os meios de comunicação. Por isso, quando um veículo como a Afropress completa 10 anos falando sobre um assunto que tem sido invisibilizado pela grande imprensa, temos a obrigação de apoiar. Parabéns, Afropress! Parabéns, Dojival Vieira, pela luta! Sua vitória também é nossa”, finalizou.

Veja mais mensagens de lideranças e personalidades negras sobre os 10 anos

PEDRO FALABELLA TAVARES DE LIMA, Procurador de Justiça do Estado de S. Paulo: "Aos caros amigos Dolores Medeiros e Dojival Vieira, que há dez anos sonharam o projeto da Afropress, e com persistência e luta construíram esse importante órgão de comunicação, parabéns! Afropress é importante instrumento da batalha diária de todos nós contra o racismo, no Brasil e no mundo! A luta que tem por arma a informação sadia e amorosa ajuda a construir uma sociedade mais fraterna. Vamos chegar lá!"

MAGNO LAVIGNE (foto abaixo), Presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT/Bahia): "O Afropress significa uma voz destonante da onda de uma imprensa que parece apenas se autocopiar.. O afropress pra mim nesses tempos difíceis representa que ainda temos possibilidades de construir uma imprensa que respeite sobretudo a liberdade… " Eu sou negão, meu coração é a liberdade" Viva a afropress por esses dez anos".

ALESSANDRA DE CÁSSA LAURINDO, Coordenadora de Políticas de Promoção da Igualdade Racial de Araraquara/SP: Parabenizo a Afropress neste Dia tão especial, por ser a agência pioneira em contar a história do negro num momento onde todos se recusavam abrir as portas para quaisquer notícias que geravam polêmicas e denúncias contra o nosso povo.

Parabenizo o profissionalismo de Dojival Vieira pela coragem de enfrentar a grande mídia e principalmente por não ser modinha na época, evidenciar o Racismo. Esses 10 anos sem dúvida contribuíram para a reafirmação da auto-estima e da valorização da Comunidade Negra brasileira, mas fundamentalmente abriu um parâmetro para a conquista de Direitos e para a respeitabilidade que merecemos.Vida longa à esse veículo tão importante para as nossas batalhas! Que daqui 10 anos possamos celebrar com notícias de muitas vitorias positivas, e vislumbramos que todas as nossas lutas, de fato valeram a pena. Sigamos!".

JÚLIO EVANGELISTA, Coordenador da Câmara Técnca Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial do Conselho de Desenvolvimento da Região Metropolitana da Baixada Santista: "Todos sabemos o quanto é difícil ser negro no Brasil, porém nem todos compreendemos o quanto é difícil ser negro no Brasil. Os leitores da Afropress, que é uma das poucas mídias negras do nosso país, sabem e compreendem essa diferença. Temos nas matérias da Afropress, mesmo que a um duro preço, um jornalismo imparcial que trata a questão racial no Brasil com a criticidade que a nossa Democracia republicana e o nosso desenvolvimento social da Comunidade Negra merecem. Parabéns Afropress pelos 10 de vida principalmente por romper com o silenciamento e a invisibilidade que o racismo à brasileira sempre trataram nossos assuntos e nossas relações. Vida longa sem racismo e com muita informação, protagonismo e luta!".

ANDRÉ SIMÕES LOURO, conselheiro seccional da OAB/SP: "Minha homenagem à Afropress na pessoa de seu editor, meu irmão querido Dojival Vieira pela oportunidade de festejar 10 anos de verdadeiro jornalismo ético, voltado à nobre causa do combate à intolerância e à toda forma de desigualdade sobretudo da necessária preocupação étnico racial brasileira. Vida longa à Afropress.Forte abraço Dojival e todos que contribuem com esse importante veículo de notícias".

CLÉBER MEIRELLES, ativista do movimento negro gaúcho: "Hoje a Afropress – Agência Afroétnica de Notícias completa 10 anos, com um trabalho infinitamente necessário para a promoção de uma consciência e reflexão sobre a sociedade brasileira. Parabéns Dojival Vieira, Dolores Medeiros e toda equipe, pelo engajamento e pelos resultados".

CLÁUDIO RODRIGUES DE OLIVEIRA, ativista de S. José dos Campos/SP, criador da CNB WebTV (Cultura Negra: "A CNB WebTV (Cultura Negra Brasileira) vem aqui parabenizar a Afropress e em especial ao seu idealizador, Dojival Vieira, pelos seus 10 anos de fundação.

Neste país de dualidades sociais e hipocrisia, a "mídia negra" sofre duramente com esta realidade. Por isso o trabalho da Afropress – Agência Afroétnica de Notícias se faz de extrema importância para nós afro-brasileiros que precisamos de informação, divulgação de fatos e expressão de opiniões com imparcialidade. Só assim crescemos com identidade e orgulho. A Afropress presta este serviço com maestria e competência. Que venham mais 10, 100 anos de muito sucesso!".

NEI CORRÊA, da AfroNorte, organização negra do Vale do Paraíba/SP: "Venho em publico parabenizar a Afropress – Agência Afroétnica de Notícias, por fazer parte da minha historia. Durante estes 30 anos de aprendizado e resistência, deparei com vários pessoas, grupos, ongs,, movimentos enfim. A luta não é mole, perdemos sono, emprego, amigos, dinheiro, credito o ativista sofre! Mas sem sombra de duvidas, faria tudo novamente em busca da igualdade. Nesta ultima década, muitas coisas aconteceram, vivemos um paradóxico; De uma lado milhares de jovens se formando (PROUNI /COTAS), do outro 500 mil jovens pobres e negros exterminados! Nesta luta por sobre vivencia a maior ferramenta é a unidade dos movimentos em especial o negro. É notória a desunião orquestrada pelos políticos, lideres sindicais de carreiras entre outros. Enfim não alcáçamos a formação ideal,mesmo nesta selva de pedra aonde o dinheiro é soberano fazendo com que nós vivenciemos reféns do consumo, num ciclo viciante, tenho muito orgulho em poder ser companheiro de luta da familia Afropress. Dr Dojival parabéns por essa luta nobre, 10 anos não são 10 dias. Sabemos quem realmente esta no movimento para servi ou ser servido quando vivenciamos, o racismo, preconceito e discriminação conosco. Somos grato pois mesmo distante você sempre esta lado a lado na correria. 

SANDRO CAJÉ (foto), fotógrafo e ativista, doutorando da Universidade de S. Paulo (USP): "Hoje a Afropress – Agênca Afroétnica de Notícias faz 10 anos de ativa luta pela informação de qualidade para o povo negro do Brasil. Fonte de informação confiável e honesta, a Afropress é uma aliada importante para a consolidação da diversidade de pontos de vista, da democracia e da liberdade de expressão. É um instrumento fundamental para a comunhão dos esforços tão fragmentados e esparsos das comunidades que buscam a expressão do seu potencial político, cultural e social. Afropress é resultado do sonho e do esforço de um intelectual respeitado e admirado. Parabenizo o meu amigo jornalista e advogado Dojival Vieira pela data. Imensa é a minha gratidão de leitor das vossas publicações. Conte conosco. Muito grato, Dojival! Axé!

LUIZ MARCELO MOREIRA, presidente da Subseção da OAB/Cubatão, responsável pela criação da primeira Comissão da Verdade sobre a Escravidão no Estado de S. Paulo: "Afropress, dez anos focada no combate ao racismo e na defesa dos direitos civis e políticos da população negra brasileira, o que a torna uma referência no tema e contribui para pautá-los nos grandes veículos. Parabéns Afropress, parabéns amigo Dojival Vieira, continue com esse trabalho importante que visa a erradicação dessa patologia que é o racismo, elemento estruturante da desigualdade social".

JORGE TERRA, Procurador gaúcho, diretor do Departamento de Direitos Humanos da Associação dos Procuradores do Estado do Rio Grande do Sul: Obrigado, Afropress, por se pautar pela independência e pela verdade! A elevação do nível civilizatório passa pelo acesso à informação confiável e de qualidade.

SÔNIA ARARIPE (foto), Jornalista, Editora de Prurale em revista e Plurale em site: "Parabéns a toda equipe da Afropress, e em especial ao seu criador e editor, Dojival Vieira, pelo excelente jornalismo praticado ao longo destes 10 anos. Que venham outros tantos! Vamos juntos, em parceria por um Brasil mais justo e igualitário. Abraço".

OSCAR HENRIQUE CARNEIRO, presidente do Conselho dos Direitos do Povo Negro de Porto Alegre/RS: "Afropress é um processo democrático e isento de informar e formar a toda a comunidade. A grande comundade negra brasileira comemora uma década de existência deste veículo, que divulga e também cobra ações e iniciativas. Afropress é um projeto de resistência. Resiste ao tempo e se moderniza. Caminha lado a lado daqueles que buscam notícias sobre o que acontece junto as entidades do movimento social negro em todo o país. Parabéns, Afropress".

 

 

Da Redacao