Rio – No espaço de pouco mais de um mês, o interlocutor da Comissão de Combate à Intolerância Religiosa (CCIR), babalawo Ivanir dos Santos (foto), recebeu três ameaças de morte pela internet.
Nesta segunda-feira (10/05), uma mensagem, dirigida ao seu e-mail particular, envido por [email protected] e assinada por “Seu pior pesadelo” deixaram a assessoria do religioso preocupada.
O autor – possivelmente um fanático ou alguém disposto a desenvolver um álibi – avisava que “se você denunciar esta ameaça, vou te fazer gritar como uma cadela”. O e-mail ainda trazia a figura de um homem com uma pistola na mão. As expressões e a formatação do texto sugerem que os ataques são da mesma pessoa.
O primeiro ataque, ocorrido há pouco mais de um mês, foi de um spam que trazia a foto de Ivanir ao lado do chefe da Igreja Universal, Edir Macedo. O texto dizia que “os dois querem a mesma coisa: dinheiro para enganar quem os seguem”. “Eles devem ser mortos como cães”,
esbravejava o autor.
O segundo, também pela internet, foi a invasão do seu perfil no Orkut com um post – que além de conter obscenidades relativas à esposa de Ivanir, denunciado ao Google há cerca de 15 dias – continha a seguinte ameaça: “vou te fazer uivar como uma cadela igual a p… da sua mulher”. A mensagem chegou a ficar na página por três dias.
O RO por ameaça foi feito na noite de ontem na 6º DP e remetido a Delegacia de Repressão a Crimes da Internet. Mesmo contra a vontade do religioso, a CCIR envia hoje ao Secretário de Segurança Pública um pedido de proteção a Ivanir.
Ivanir dos Santos tem 30 anos de militância pela causa dos Direitos Humanos. No fim da década de 1980 denunciou grupos de extermínio de crianças negras na periferia e na Baixada Fluminense.
No início de 1990, além de ameaçado, sofreu um atentado e teve o carro alvejado por vários tiros quando saia de casa no Morro da Mangueira, na Zona Norte do Rio.

Da Redacao