Salvador/BA – O professor e vereador Silvio Humberto dos Passos Cunha (foto), um dos fundadores do Instituto Cultural Beneficente Steve Biko, entidade que tem como objetivo promover a ascenção dos negros por meio da Educação, disse que o Movimento Negro da Bahia e do Brasil perdem um dos seus maiores inspiradores, com a morte do professor e historiador Ubiratan Castro.

“O professor Doutor Ubiratan Castro, o nosso prof. Bira, foi um semeador de talentos. Acrescento que deixou mais do que bons frutos, deixou terras férteis para o surgimento de novos talentos. Onde ele passou imprimiu sua marca, oportunizando espaços para os mais jovens”, afirmou.

FALA DOS SÁBIOS

Silvio Humberto destacou a atenção que o historiador, morto na manhã desta quinta-feira, no Hospital Espanhol, de Salvador, sempre teve com a Steve Biko. “Sempre que ele foi convidado a participar das nossas atividades se fazia presente. Ele tinha a fala fácil dos sábios de quem deseja diminuir distâncias e estimular a participação”, acrescentou.

Segundo o vereador, que tomou posse nesta terça-feira (1º/janeiro) para o seu primeiro mandato na Câmara de Salvador, a Steve Biko, está no momento em recesso, mas no retorno das atividades serão discutidas homenagens a Ubiratan Castro. “Sim, quando retornarmos vamos prestar as devidas homenagens, um reconhecimento a sua contribuição a luta negra, lembrando que ele era um ativo participante das festas populares, além de popularizar, democratizar, interiorizar a Fundação Pedro Calmon, que ultimamente dirigia”, concluiu.

Por sua vez, o cartunista Maurício Pestana, diretor executivo da Revista Raça Brasil, lamentou a morte do historiador: “Um grande intelectual, que tratava questões duras como racismo, exclusão, discriminação com muita profundidade, mas também leveza e bom humor”, afirmou.

ÍCONE

O Ouvidor da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial, Carlos Alberto Santos Jr., disse que o professor Ubiratan foi um “ícone na dedicação da história da Bahia”.

“Doutor Ubiratan Castro, um guerreiro de concepções inovadoras, um ícone na dedicação da história da Bahia. Apesar de extrema inteligência, pessoa muito humana e simples, conseguia cativar todos e todas. Sempre entusiasta das comemorações do 2 de julho, nos deixa na manhã de hoje. O povo baiano fica muito triste e a nossa cultura fica mais pobre. Que descanse em paz nobre amigo. Meus sentimentos aos familiares", afirmou.

Da Redacao