Belo Horizonte/MG – A professora Macaé Evaristo, nomeada pelo governador Fernando Pimentel, do PT, para chefiar a Secretaria de Educação do Estado de Minas Gerais, tornou-se no dia 1º de janeiro deste ano, ao tomar posse no cargo, a gestora pública negra encarregada de administrar o maior orçamento no Brasil.

Macaé é a única mulher em um secretariado composto por homens e também a única negra. Será responsável pela gestão de um orçamento que, em 2015, deverá superar os R$ 10 bilhões, os recursos disponíveis para a Educação. Os recursos equivalem a cerca de 200 vezes o orçamento de R$ 50 milhões, que a professora Nilma Lino Gomes – também de Minas – terá à disposição na Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR) para gerir os programas de promoção da igualdade racial para todo o país.

A nomeação de Macaé retoma a tese que ganhou força com a ausência de negros no ministério escolhido pela Presidente Dilma Rousseff para o segundo mandato, de que as políticas de inclusão devem passar pela designação de nomes para ministérios importantes, como os de Educação, Traballho, Ciência e Tecnologia, e Saúde, por exemplo.

“Essa ideia de que a SEPPIR é o máximo a que se pode chegar em termos de cargo público, faz parte da lógica do sistema racista que, infelizmente, passou a ser defendido e assumido pelo movimento negro partidário”, afirmou a Afropress, uma liderança negra sob a condição de anonimato.

Quem é

Macaé Evaristo é assistente social formada pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas), mestre em Educação pela Universidade Federal de Minas Gerais. Foi Secretária de Educação Continuada, Alfabetização, Diversidade e Inclusão (SECADI) do Ministério da Educação no primeiro Governo da Presidente Dilma Rousseff.

Professora da rede estadual de ensino desde 1.984, ela foi Secretária de Educaçao de Belo Horizonte e uma das responsáveis pelo Programa de Educação Integral da capital mineira, onde coordenou o programa de implantação de escolas indígenas de Minas Gerais entre 1.997 e 2004.

Da Redacao