Salvador – Morreu nesta segunda-feira de carnaval (04/02), aos 75 anos, de insuficiência respiratória, a Mãe de Santo, Benedita Maria do Nascimento, a Mãe Nitinha de Oxum. Um dos nomes mais importantes do candomblé, ela estava internada há duas semanas no Hospital Evangélico de Brotas.
Mãe Nitinha recebia o nome da Yalorixá Areonite Conceição Chagas. No candomblé, yalorixá é o nome dado para o termo Mãe-de-Santo, que é o sacerdote chefe de um terreiro, a quem compete a distribuição de todas as funções especializadas do culto.
O enterro de Mãe Nitinha ocorreu nesta terça-feira (05/02), as 14h, no Cemitério Jardim da Saudade. Ontem, mesmo começou o Axexê, ritual fúnebre que dura sete dias e que reúne apenas os iniciados no candomblé.
Em 2000, Mãe Nitinha, foi a primeira entre Pais de Santo, a ganhar o direito de se aposentar, após 50 anos de serviços. Naquele ano, o Ministério da Previdência e Ação Social reconheceu os “zeladores” do culto afro como religiosos assim como qualquer sacerdote católico ou pastor evangélico, que já recebiam o benefício previsto no artigo sobre assistência cultural do INSS.
Em 2005, mãe Nitinha foi escolhida pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para representar o candomblé na comitiva multirreligiosa que foi à Roma por conta da morte do papa João Paulo 2º. Mãe Nitinha, porém, perdeu o avião e não conseguiu embarcar.

Da Redacao