Berlim/Alemanha – Marcela Maria, a MC Xuparina, artista performática negra e militante do Movimento LGBT, que há três anos vive em Berlim onde se radicou para estudar alemão, foi vítima de violência durante festival dedicado a música eletrônica de língua portuguesa – o Lusotronic – que aconteceu no último domingo (19/05), na capital alemã.

A agressão aconteceu quando Marcela, escalada para participar do festival, que contou com a participação de João Brasil, Cibelle e Bonde do Rolé, ouviu uma música do Mr. Catra e criticou o caráter machista da música de Catra com o organizador do Lusotronic – o produtor alemão Daniel Haasksmann.

Haasksmann reagiu de forma agressiva e violenta à crítica e chamou dois seguranças para retirá-la do clube. A Mc foi então imobilizada e expulsa do Club Gretchen, onde o festival aconteceu. Haasksmann é conhecido na Alemanha por explorar o funk comercialmente abrindo espaço para “jovens brancos de classe média do Brasil”. Marcela é uma performer que usa como nome artístico, Sonia Lemos, uma personagem que se transforma em MC Xuparina.

Esse é o segundo caso envolvendo violência com artistas brasileiras na Alemanha. No carnaval, a produtora de eventos e sambista Denise Souza, conhecida pelo nome artístico de Chocobom, residente em Dresden, cidade de 500 mil habitantes capital da Saxônia, foi atacada por membros do grupo carnavalesco pelo qual desfilou.

O caso está mobilizando a comunidade brasileira na Alemanha. A baiana Simone Weissmann, radicada há 20 anos em Munique, que exerce liderança entre os membros da comunidade brasileira na cidade, disse que o caso de violência contra brasileiros, especialmente mulheres, preocupa. “Esperamos providências das autoridades”, afirmou. Este ano de 2013 foi escolhido como o Ano da Alemanha no Brasil.

Da Redacao