Rio – Sacerdotes das religiões de matriz africana, lideranças negras e anti-racistas se reúnem numa manifestação marcada para às 15h, desta quinta-feira (27/03), nas escadarias da Assembléia Legislativa do Rio (Praça XV, S/N), para protestar contra a intolerância religiosa que tem atingido de forma crescente as religiões de matriz africana e afro-brasileira.
A manifestação pretender exigir das autoridades o fim das perseguições aos templos e o respeito ao direito constitucional de liberdade de culto e de crença. O caso mais recente de intolerância contra o candomblé foi a demolição por funcionários da Prefeitura de Salvador, do terreiro Oyá Onipó Neto, no bairro do Imbuí, que provocou a reação da comunidade e protestos – inclusive greve de fome de um líder religioso – que só terminou com o pedido de desculpas pelo prefeito João Henrique (PMDB), que é evangélico.
Segundo os organizadores do ato, entre os quais Dolores Lima e Marcelo Monteiro, respectivamente vice-presidente e presidente do Centro de Tradições Afro-Brasileiras (Cetrab), “é chegado o momento de manifestar a indignação contra os casos de ódio religioso contra os templos e religiosos de matriz africana. “São processo de discriminação religiosa que são enquadrados em caráter de injúria e difamação, descaracterizando a ação do agressor. São templos expurgados das comunidades carentes por ordem de traficantes. Sem falar no ódio expresso nos muros da cidade contra nossos ancestres tendo sua memória vilipendiada”, afirmam.

Da Redacao