S. Paulo – Organizações dos Movimento Negro e Popular, além de grupos culturais e representantes de saraus da periferia, promoveram no Dia Internacional de Luta pela Eliminação da Discriminação Racial em S. Paulo, o lançamento da Campanha Contra o Genocídio da População Negra.
O ato aconteceu na Praça Ramos, em frente ao Teatro Municipal de S. Paulo, mesmo local em que, em 1.978, surgiu o Movimento Negro Unificado.
Ativistas de várias entidades passaram a tarde fazendo propaganda e agitando palavras de ordem, com a distribuição de panfletos e e conversando com a população. A partir das 15h, já com o equipamento de som instalado, militantes se revezaram. “A policia me agride e de chama de negra fedida”, disse revoltada dona Diná, moradora de rua da região do centro.
Entre os artistas que participaram do ato estavam James Bantu, Jairo Africania, LG, FIXX, Tito Força Ativa, Rodrigo Expressão Verbal, Anderson UNeafro, Gaspar Zafrica Brasil, Keni, além de poetas participantes da Cooperifa, como Sarau do Binho e Sarau Palmarino, entre outros. O ato contou com a participação especial da Trupe A Rua Circo.
Policiais da Polícia Militar e homens da Guarda Civil Metropolitana, acompanharam as falas, sem intervir.
O Comitê de Mobilização Contra o Genocídio da População Negra, composto pelas organizações que promoveram o Ato, deve organizar novas atividades nas periferias de todas as regiões de S. Paulo ainda neste mês de abril.
Em maio está prevista a realização de um ato no dia 13 de maio – que marca a data da Abolição da Escravatura – e que os manifestantes pretendem transformar num Dia de Luta contra a Discriminação.
Erramos
O nome correto é Rodrigo, do Anexo Verbal, e não “Rodrigo Expresão Verbal”, como grafado na matéria.

Da Redacao