Lauro de Freitas/BA – O jornalista, ativista e membro titular do Conselho Nacional de Promoção da Igualdade Racial (CNPIR), Márcio Alexandre Martins Gualberto, lança neste sábado, 28 de maio, o “Mapa da Intolerância Religiosa: Violação ao Direito de Culto no Brasil” – a primeira sistematização dos casos de intolerância religiosa ocorridos nos últimos 10 anos no país.
Entre os casos registrados no Mapa está o de Mãe Gilda, Ialorixá do Terreiro Ilê Axé Abassá de Ogum, em Salvador, que morreu após ter sua foto publicada no Jornal da Igreja Universal relacionada a uma reportagem sobre charlatanismo. Jaciara de Oxum, filha de Mãe Gilda, também estará no ato de lançamento. A morte da Ialorixá motivou a criação do Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa.
Segundo Márcio Alexandre – que é coordenador geral do Coletivo de Entidades Negras e também colunista de Afropress – “é visível que há uma vítima preferencial de intolerância religiosa no país, e essa vítima é o praticante de religiões de matrizes africanas tais como o Candomblé e a Umbanda”.
Ele acrescenta que, a proposta do Mapa não é apenas apresentar denúncias, mas mostrar o quanto se tem avançado no enfrentamento da intolerância. «No país inteiro as organizações do movimento social se mobilizam, os religiosos se articulam e pressionam o poder público a pôr um fim à intolerância religiosa, seja promovendo caminhadas, produzindo documentos, ou até mesmo chamando para o diálogo outras tradições religiosas para somar força. O que vemos é que a cada dia as pessoas se conscientizam que têm o sagrado direito de manifestar sua fé», afirmou.
O Mapa terá, além de sua versão impressa, um website para receber denúncias, encaminhá-las aos órgãos competentes nos Estados, acompanhar os desdobramentos e também divulgar o que as organizações da sociedade civil e o Poder Público vem produzindo para defender o direito de culto no país.
O lançamento acontece às 10h, no Ilê Asé Omi Lesi, à Rua Jardim Taubaté, Quadra 7 – Lote 127, em Itinga, Lauro de Freitas, cidade da região metropolitana de Salvador.

Da Redacao