Santiago – Líderes Mapuches estão acusando a Microsoft de pirataria intelectual e de violação sua riqueza e herança cultural por traduzir, sem autorização, o software para o idioma mapudungún – a língua Mapuche, falada por 400 mil indígenas chilenos.
Eles escreveram carta a Bill Gates, dono da gigante norte-americana, ameaçando levá-la à Justiça. A briga começou no mês passado, depois que a Microsoft decidiu lançar um pacote do Windows em mapuzugún. Ao fazê-lo na cidade de Los Sauces, a empresa informou que pretende ajudar os Mapuches a entrar na era digital. “Vamos abrir uma janela para o resto do mundo poder acessar as riquezas culturais deste povo indígena”, declarou a empresa em comunicado.
Segundo Aucan Huilcaman, líder Mapuche, a Microsoft e o Ministério da Educação chileno passaram por cima do seu povo “ao criar uma comissão sem nosso consentimento e participação”.

Da Redacao