São Paulo – O ex-zagueiro e atual diretor técnico do Corinthians, Antonio Carlos Zago, 38 anos, punido por racismo contra Jeovânio, do Grêmio, em partida disputada no dia 05 de março de 2006, pelo Campeonato gaúcho, disse ter se arrependido do seu gesto. Em longa entrevista ao Jornal Folha de S. Paulo, Antonio Carlos, disse esperar que as pessoas esqueçam a sua atitude racista.
Na ocasião, quando jogava pelo Juventude de Caxias do Sul, ao ser expulso, o jogador teria dito a Jeovânio. “Isso é coisa de macaco”, sinalizando a cor da pele do atleta do Grêmio e esfregando os dedos em cima do braço. Na época foi punido com 120 dias de suspensão pela Justiça Desportiva.
“Espero que as pessoas esqueçam isso, porque aquele ali não era o Antônio Carlos. Naquele dia, eu saí de campo com muita vergonha daquilo que eu tinha feito. Eu me arrependi mesmo. Houve uns três, quatro episódios na minha carreira de que eu me arrependo. Na Itália, houve uma vez que cuspi no Simeone. Peguei quatro jogos. Mas me arrependi na hora. Ele era um cara chato, só que era legal fora de campo. E, uma semana depois, encontrei-o com a mulher. Não sabia onde enfiar a cara. Pedi desculpas a ela. Ela disse que não tinha problema porque conhecia bem o marido que tinha”, afirmou.
Ele disse ter pedido desculpas a Jeovânio, porém, o atleta do Grêmio não o perdoou. “Ele não aceitou. Pelo que me falaram, foi mais a mulher dele que não deixou ele aceitar. Depois, parei. Você vai atrás e não consegue falar com o cara. Deixei de lado”, contou.
No momento, por força de um acordo judicial, Antonio Carlos tem de se apresentar todo mês no Fórum para assinar um termo. “Se eu deixar o país, tenho que avisar. Isso é por quatro anos. Já foram dois anos”.
Ele considerou sua punição justa. “Eu acho que foi, mas quiseram me pegar como bode expiatório para dar exemplo para todos. Eu fiz um gesto infeliz. Só que, às vezes, a pessoa mata e não é punida”, concluiu.
O atleta encerrou a carreira no ano passado como jogador do Santos Futebol Clube e, desde então, ocupa cargo de dirigente do Corinthians Paulista.

Da Redacao