Rio – O cientista social Carlos Alberto Medeiros, da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), atacou em termos duros o editorial de Afropress “As lições da vitória de Obama e a síndrome do puxadinho”. Ele disse ter ficado “pasmo” com o fato de trechos do editorial terem sido citados de forma positiva pelo jornalista e escritor Zuenir Ventura (foto), em sua coluna do jornal O Globo, desta quarta-feira, 12/11.
“Quando li o artigo do Dojival, confesso que fiquei meio pasmo com o parágrafo agora citado por Zuenir Ventura. Afinal, quem são os “autoproclamados líderes” que “flertam abertamente com a idéia de um país birracial” com o objetivo de “afirmar a supremacia negra”, lançando-nos à “barbárie fratricida”? Um discurso pra vetusta nenhuma botar defeito. À feição dos nossos adversários. Não é à toa que foi usado pelo Zuenir para ilustrar a dificuldade dele – que não é exatamente um adversário – em aceitar medidas de ação afirmativa baseadas na raça”, afirma.
Ideólogo
Medeiros justificou a reação, tornada pública na Internet na lista Discriminação Racial, coordenada pelo advogado Humberto Adami, nos seguintes termos: “Travamos uma luta ideológica, e nossos inimigos jogam pesado no campo da chamada opinião pública. Evidentemente, não somos um grupo homogêneo. Temos uma diversidade de posições e opiniões que merecem ser apresentadas e discutidas. Mas é preciso ter responsabilidade no uso das palavras, para que uma crítica interna (acredito que Dojival continue apoiando a ação afirmativa, por exemplo) não seja transformada em instrumento dos dominadores para enfatizar nossas divisões. Do jeito que está, esse parágrafo poderia ser reproduzido na próxima edição de Não somos racistas.
Não ficaria impressionado se dia desses Dojival fosse convidado a dar entrevista ao Jornal Nacional.”
O jornalista Dojival Vieira, editor de Afropress, preferiu não responder nem comentar as declarações de Medeiros, acrescentando que, se o fizer, será no espaço próprio – o Editorial – ou em artigo no espaço aberto aos Colunistas.

Da Redacao