São José do Rio Preto/SP – O médico José Antonio Sanches foi condenado a pagar uma indenização por danos morais de 50 salários mínimos – o equivalente a R$ 20.700,00 hoje -, acusado do crime de injúria racial contra a copeira Jeni Oliveira, 44 anos. Da sentença do juiz Lavínio Donizetti Paschoalão, da 1ª Vara Cível de Rio Preto, ainda cabe recurso.
O fato aconteceu em setembro de 2007, quando a copeira, que trabalhava em um hotel da cidade, foi levar o café da manhã no quarto onde o médico – que é de Tocantins – estava hospedado.”Ele me xingou de preta filha da puta e atirou uma bandeja em mim”, disse a copeira. Segundo ela, o agressor só se acalmou com a chegada da Polícia Militar e a ida de ambos para a Delegacia. “Ele chegou a atirar a bandeja com o café depois que eu pedi que assinasse um comprovante do serviço”.
Na sentença, o juiz Paschoalão lembrou que o médico – condenado à revelia por não ter apresentado defesa prévia nem comparecido as audiências, embora citado por edital – admitiu a “conduta ofensiva”. “Ao proferir palavras injuriosas e discriminatórias o réu produziu menosprezo à honra e imagem da vítima”, afirmou o juiz.
A copeira espera com o dinheiro da indenização “comprar um pedaço de chão e parar de pagar aluguel”, segundo seu advogado Luiz Barbosa Filho.
No cadastro Conselho Regional de Medicina do Tocantins consta o nome do médico, porém, não há menção de telefones para contato. O crime de injúria racial prevê penas de um a três anos de reclusão e pagamento de multa.

Da Redacao