Porém é importante (independente da prioridade pessoal que se dê a determinadas frentes da luta), conhecer (e de preferência mais que superficialmente) os problemas do eixo-comum e que como problemas-raiz estão na base ou se agregam a todos os outros…
Ser ativista do MN hoje (na era da informação) exige essa postura…, não é preciso ser Advogado para se interessar sobre aspectos legais envolvidos, não é preciso ser mulher para se solidarizar com a causa feminista (e tentar entender um pouco mais as questões de gênero), não é preciso ser Quilombola para entender as premissas básicas da questão quilombola, não é preciso ser “do Santo” para conhecer um pouco mais a problemática das religiões de matriz africana…, nem morar no Amazonas, ser processado, perseguido politicamente etc…, para se atentar para uma perigosa “ideologia mestiça” que vem do norte e que pode por completa “descrença ou subestimação” dos militantes das outras regiões do país se tornar uma “pedra maior que o sapato” para o movimento todo…
META-RACISMO é o racismo cínico e travestido de “defesa da democracia e igualdade” que visa tão somente manter o Status Quo…, é do META-RACISMO que se utilizam os meios de comunicação que alardeiam que “não há racismo no Brasil” e derrubam ministras negras (por enquanto duas…) e tentam derrubar Reitores aliados da causa negra…, é dele que se utilizam todos os autores que preveêm “ódios e divisões” se as AA forem implantadas…, é ele quem aparece cinicamente no combate das oligarquias contra as terras para os Quilombolas…. .
É o meta-racismo que diz que “somos um país mestiço” e cínicamente diz que aqui é “impossivel” saber quem é negro…(só na hora de algum benefício…), é o meta-racismo que permite a “igrejas mundiais” despejarem diuturnamente via concessões públicas de rádio e TV a intolerância contra as religiões de origem Africana…, é o meta-racismo que inventa “mil desculpas” para não empregar nem promover [email protected] e “justificar” a baixa representatividade negra nos melhores espaços da sociedade, é o meta-racismo que engaveta os projetos no Congresso e quando enfrentado provoca atos-falhos como agressivos “cala-boca!!!”…, enfim…, é o meta-racismo que se “esbalda” com os “atritos” do movimento negro”, é o META-RACISMO que está presente no cotidiano de todos os brasileiros e portanto é ele o principal inimigo do MN …
É compreeensível que muitos não conheçam o “racismo à brasileira” pelo seu nome internacional… , mas conhecer e não acreditar nele é o mesmo que querer combater a AIDS sem acreditar em HIV…
Informação é poder… e todos nós estamos precisando de “poder de fogo” para combater o inimigo real e comum (e tentar evitar fogo amigo…)

Juarez C. da Silva Jr.