S. Paulo – A ministra Matilde Ribeiro, da Seppir, por intermédio de sua chefe de gabinete Sandra Teixeira, manifestou solidariedade, e comunicou ao jornalista Dojival Vieira, responsável pela Afropress, que a Seppir acionará o Ministério da Justiça e a Polícia Federal para identificar os responsáveis e processá-los.
“Este é um caso que representa uma ameaça ao direito de informação e às liberdades democráticas”, disse Sandra, em nome da Ministra.
A delegada Margarette Barreto, do Gradi, Grupo de Repressão aos Delitos de Intolerância da Secretaria de Segurança Pública, que dirige as investigações para apurar ameaças anteriores também foi acionada.
Entidades do Movimento Negro e das Comunidades Judaica, Latina e personalidades da sociedade civil devem se reunir esta semana para preparar um ato de repúdio ao racismo, a intolerância e pelo direito de expressão e comunicação, que no entender dessas entidades, está ameaçado com as freqüentes ações de sabotagem assumidas declaradamente por grupos racistas e neonazistas.

Da Redacao