Brasília – O ministro da Igualdade Racial, Edson Santos, e o secretário-Adjunto, Elói Ferreira, abriram a reunião do Grupo de Trabalho para a Promoção da Igualdade Racial nos Meios de Comunicação, sugestão feita por comunicadores e profissionais do jornalismo, durante a II Conapir, realizada em julho, em Brasília, e acatada pelo ministro.
A reunião, coordenada pelo assessor de Comunicação Rafael Rodrigues, aconteceu em Brasília nesta quarta-feira (04/11), na sala de reuniões da Seppir, na Esplanada, e contou com a presença de três dos quatro membros do comitê executivo aprovado na II Conapir – Dojival Vieira, da Afropress, Sionei Leão, representante da Cojira/DF e Josué Lopes Franco, da Abraço. A outra integrante do Comitê, Ana Paula Fanon, da Bahia, perdeu o vôo. As jornalistas Juliana Nunes e Luciane Reis, participaram como convidadas.
Segundo os membros do Comitê Executivo, a presença do ministro serviu para demonstrar a importância que a Seppir está dando a iniciativa dos comunicadores que pretendem ver o tema na pauta das políticas públicas.
Um dos temas que o Grupo pretende encaminhar é o pedido de audiência com o ministro Franklin Martins, da Assessoria de Comunicação do Planalto, para reivindicar que as verbas publicitárias e para os meios de comunicação também cheguem aos veículos de mídia dedicados à temática étnico-racial.
Um outro tema será um pedido de audiências e agendamento de visitas junto às direções dos principais jornais do país para reivindicar uma cobertura mais equilibrada quando tratarem de temas relacionados à temática étnico-racial.
GT de Comunicação
Na reunião foi apresentada a minuta da Portaria, que deverá ser baixada, criando o GT e que tem como objetivos: I – formular ações de sensibilização das assessorias de imprensa e comunicação dos ministérios e órgãos da administração federal, promovendo, a transversalidade das ações de comunicação social que tratem da promoção da igualdade racial; II – formaular ações de sensibilização das assessorias de imprensa e comunicação dos governos estaduais, do Distrito Federal e dos Municípios brasileiros; III – formular ações de sensibilização e esclarecimento dos órgãos públicos e privados de imprensa nacionais quanto às políticas de promoção da igualdade racial, de forma a possibilitar que estes mesmos órgãos e seus profissionais realizam uma cobertura mais equiliberada dos assuntos relacionados à temática e, desta forma, possibilitando que a população brasileira receba informações mais qualificadas sobre o tema; IV – formular ações de sensibilização e esclarecimento dos órgãos de imprensa internacionais quepossuam representações ou correspondentes atuando no território brasileiro, de forma a qualificar a percepção da comunidade internacional em relação às políticas de combate ao racismo e promoção da igualdade racial formuladas e implementadas pelo Governo Federal; V – formular ações de qualificação técnica dos órgãos de imprensa especificamente dedicados à temática das relações étnico-raciais; VI – formular estratégias para qualificar a intervenção da Seppir durante a Conferência Nacional de Comunicação Social, que acontecerá em dezembro, em Brasília.
A proposta é que o Grupo seja formado por 14 membros titulares e o mesmo número de suplentes e seja integrado por pessoas indicadas pela Seppir e por entidades da sociedade civil que trabalham com comunicação social. O trabalho dos membros da sociedade civil não é remunerado, sendo considerado atividade de “relevante interesse nacional”.
Ao final da reunião, o assessor de Comunicação Rafael Rodrigues, disse que o próximo passo será submeter a minuta a Assessoria Jurídica da Seppir, para sua posterior assinatura pelo ministro e publicação no Diário Oficial. Uma vez baixada a Portaria, ao Comitê Executivo caberá se reunir para definição de uma agenda de atividades para a execução das propostas.

Da Redacao