São Petersburgo – A governadora Valentina Matyiyenko, de São Petersburgo – cidade natal do presidente da Rússia, Vladimir Putin – , declarou, ontem, que o racismo e a xenofobia constituem ameaças “comparáveis ao terrorismo”. A declaração foi feita como resposta ao assassinato do estudante senagalês Lanzar Samba, ativista de uma organização de defesa dos direitos humanos, morto a tiros na noite da última quinta-feira.
O assassinato ocorreu, segundo a Polícia, quando um desconhecido fez vários disparos contra um grupo de estudantes estrangeiros que acaba de sair de uma casa noturna, onde participam de uma festa estudantil.
Junto ao corpo de Samba a Polícia encontrou uma escopeta com uma suástica gravada em sua culatra, segundo o jornal eletrônico local “Fontanka.ru”. Três dias antes do crime, iniciou-se o julgamento de envolvidos no asssassinato de outro estudante estrangeiro, o peruano Enrique Angeles Hurtado, na cidade de Voronezh, 500 Km ao sul de Moscou.
Um dia antes do assassinato do estudante africano, o presidente do Conselho da Federação (Senado) da Rússia, Serguei Mironov, propôs que os crimes relacionados à xenofobia e ao racismo sejam classificados como crimes terroristas.

Da Redacao