Não pretendo falar a partir do ponto de vista da ONG que presido, e sim, do ser humano que existe dentro de cada um de nós. De todos nós. Penso que todos os componentes e organizações que representem a diversidade, em todas as suas manifestações, possam trazer contribuições, opiniões e pontos de vista em relação ao Movimento, razões pelas quais nossa convivência é enriquecida.
Posso adiantar que todos os integrantes e simpatizantes da ONG Presença da América Latina defendem o sagrado direito de todos a ser pessoas. A filosofia de nossa organização está orientada pela Declaração Universal dos Direitos Humanos e pelos princípios humanistas presentes em todas as religiões. Afirmamos que a promoção da pessoa humana deve estar sustentada em valores como o respeito, a solidariedade e a ética cidadã.
Cada organização é constituída para promover, dentro da sociedade civil e dos poderes públicos, ações concretas que permitam alcançar a dignidade e o respeito que merecemos. Em nosso caso, imigrantes latino-americanos, seja por qualquer condição social, política, religiosa ou econômica no país em que habitemos. No entanto, os Direitos Humanos são de todos e, quando o direito de uma só pessoa é agredido, é a humanidade inteira que está em jogo.
Essa é a razão da criação deste Movimento, a favor destes ideais que, infelizmente, não fazem parte da realidade. Acreditamos que é necessário expressar com segurança e clareza, de maneira inclusiva, respeitosa e, porque não, amorosa, nosso desejo de um mundo diferente. Um mundo no qual o outro seja visto como uma fonte que me enriquece, e não como um possível rival ou ameaça. Esse outro que nos une, é nossa condição comum na qual formamos um lindo mosaico da vida com uma maravilhosa série de tonalidades ou diversidades.
Não pretendemos continuar analisando as razões da divisão, mas queremos modificar esse paradigma apresentando nossa forma de perceber uma sociedade diferente aonde possamos em conjunto desfrutar a riqueza da vida.
Nosso propósito não é reagir frente aos ataques ou aos diversos atentados que vivemos no dia a dia, no entanto, consideramos que não podemos nem devemos nos omitir quando isto acontece. Nos unimos para pedir políticas públicas, programas, ações e medidas concretas que estabeleçam estes valores aonde quer que nos encontremos. Nos unimos para protestar e repudiar qualquer forma de discriminação explícita ou implícita. Nos unimos para criar um espaço aonde outra forma de sociedade e de universo seja possível.
Este é um Movimento afirmativo, de celebrar, comemorar e se alegrar em conjunto por sermos humanos e diferentes. É afirmativo no sentido de dizer mais o que queremos do que atacar aquilo que não queremos. É um movimento que busca unir a todos, independente da sua condição de diferente que foi colocada ou que ainda coloca em uma situação vulnerável frente àqueles que ainda não compreenderam que ser diferente é legal.
Acredito que não é apenas a comunidade de latinos que sustenta este sonho e nem que ele seja algo novo, somente estamos todos juntos pensando naquilo que John Lennon expressa em Imagine.
Imagine todas as pessoas
Vivendo a vida em paz
Pode dizer que sou um sonhador
Mas não sou o único
Espero que um dia se una a nós
E o mundo será um só
John Lennon

Por isso nos unimos neste Movimento e convidamos todos a fazerem parte. Um Movimento para todos, inclusive aqueles tomados pelo medo aos outros, que os fazem com que vejam no outro sua própria sombra.
Sinceramente, esperamos que, algum dia, você se una a nós em fraterna divergência. Não pedimos que seja igual, mas sem danos o direito ao ser igual a você, sujeito de idêntico direito e digno de idêntico respeito.

Oriana Jara