Brasília – Um movimento pedindo a destituição da Comissão de Direitos Humanos do Pastor-deputado federal Marco Feliciano, do Partido Social Cristão, ligado à Igreja Assembléia de Deus, que ficou conhecido nas redes sociais por comentários racistas e homofóbicos, organizado pelo site "Avaaz" – Petições da Comunidade, já tinha reunido até a tarde desta sexta-feira, mais de 20 mil assinaturas. O Partido insiste em indicá-lo para a presidência da Comissão. 

"Avaaz" significa "voz". Surgiu em 2007 com a missão de organizar os cidadãos de todas as nações "para fechar a lacuna entre o mundo que temos e do mundo a maioria das pessoas em todos os lugares quer". A comunidade da Avaaz organiza campanhas em 15 línguas, tem uma equipe central em 6 continentes e milhares de voluntários.

Feliciano se notabilizou pelos comentários racistas na rede e assumiu publicamente não ter qualquer respeito pelas religiões de matriz africana. “É inaceitável que a Comissão fique nas mãos de alguém que irá lutar contra qualquer avanço em direção ao reconhecimento dos direitos humanos no Brasil, uma matéria ainda tão frágil em nosso país. Para se ter um paralelo, imaginemos que países autoritários comandassem o Conselho de Direitos Humanos das Nações Unidas. Ao designar o Pr. Marco Feliciano para essa posição, os demais parlamentares realizam um ato que contraria a lógica ou o bom senso”, afirmam os organizadores.

O site Petições da Comunidade é uma plataforma online que dá as pessoas em todo o mundo a possibilidade de iniciar e ganhar campanhas em nível local, nacional e internacional. O pastor é o mesmo que escreveu recentemente que “africanos descendem de ancestral amaldiçoado por Noé”.

Para participar da campanha basta acessar o endereço

http://www.avaaz.org/po/petition/

Da Redacao