S. Paulo – O promotor Antonio Ozório Leme Barros, coordenador da Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça da Cidadania do Ministério Público de S. Paulo, já despachou a representação da ONG ABC sem Racismo, contra o técnico do Santos Vanderlei Luxemburgo. Há cerca de 15 dias, o técnico desdenhou das medidas tomadas pelas autoridades contra o racismo no futebol e assumiu que trata os jogadores negros dos times que treina como “picolés de asfalto”.
Na representação que recebeu o Registro CAO 1205/2006, a ABC sem Racismo pede a abertura de processo criminal contra o técnico sem prejuízo de ação cível pública por danos à população negra, com base nos direitos difusos e coletivos.
O promotor encaminhou o caso para o Centro de Apoio Operacional à Execução e das Promotorias de Justiça Criminais – Caex-Crim e a Promotoria de Justiça da Cidadania de Santos,em virtude das declarações terem sido feitas em Santos.

Da Redacao