Nova York – Uma multidão de fãs formou uma enorme fila na porta do Teatro Apollo, no Harlem, para se despedir de James Brown, o “Padrinho do Soul”, morto na no dia de Natal, aos 73 anos, vítima de um ataque cardíaco. O correspondente de Afropress em Nova York, Edson Cadette, um paulistano que vive há 16 anos nos EUA, é um deles e escreverá sobre o clima do velório do “Mister Dinamite”, como Brown também era conhecido.
Durante à tarde enquanto, aguardavam a abertura das portas do teatro, um sósia de Brown fazia um show fazendo a multidão lembrar os maiores sucessos do ídolo. O corpo de Brown chegou numa carruagem puxada por cavalos brancos. “Eu achava a música dele demais, fenomenal. Ele vai fazer bastante falta”, disse o pugilista Iran “The Blade” Barkley a uma TV local enquanto esperava na fila. “Eu o conheci numa das minhas lutas, e agora só vim transmitir meu respeito a ele”, afirmou.
Nesta sexta-feira, o corpo será levado para Augusta, na Geórgia, onde o cantor nasceu, para uma cerimônia reservada. O velório prosseguirá no sábado antes do enterro em sua cidade natal.
Brown cresceu na pobreza, cometendo pequenos delitos em Augusta numa época em que o sul dos EUA ainda vivia a segregação racial. A carreira musical começou numa prisão para menores infratores.

Da Redacao