Ubatuba – O presidente da Associação dos Remanescentes da Comunidade de Quilombo Caçandoquinha, Raposa, Saco das Bananas e Frade, Mário Grabriel do Prado, 32 anos,foi libertado no final da tarde desta segunda-feira (22/06), depois da derrubada da sede da entidade. A comunidade de 20 famílias – homens, mulheres e crianças – teve que dormir na praia ao relento, junto com o pouco que restou do despejo.
O líder quilombola que permaneceu algemado dentro de uma viatura durante toda a ação de reintegração e depois foi conduzido à Delegacia para prestar depoimento, apenas porque pediu ao Oficial de Justiça que exibisse o mandato de reintegração de posse. “Não vamos desistir” desabafa ele.
Veja o depoimento do presidente da Associação dos Remanescentes de Quilombo Caçandoquinha, Mário Gabriel do Prado
Nesta segunda feira ocorreu a reintegração de posse na comunidade de Caçandoquinha.
A ação foi iniciada logo pela manhã, onde os policias de armas em punho fizeram a revista pessoal nos homens ali presentes, e palavra ao oficial de justiça que pediu a mim como presidente que abrisse a porta de nossa sede, para que fosse efetuada a reintegração, então pedi a ele que me mostrasse a documentação para que então eu abriria a porta.
Ele negou, e me disse que eu já conhecia o conteudo da sentença e disse que se não abrisse a porta ele me daria voz de prisão, e foi o que aconteceu, fui algemado e fique preso dentro de uma viatura até o término da ação, e depois conduzido até a delegacia para prestar depoimento.
A ação tambêm contou com jagunços que detruiram nossa sede com requintes de crueldade e riam com o sofrimento das mulheres que lá estavam.
A comunidade teve seus pertences jogados na praia,e após a ação a comunidade teve que dormir na praia tomando conta do pouco que restou.
É triste ver a situação das pessoas que lá estão sem saber o virá a acontecer, pois tudo foi derrubado, e com isso nossos sonhos e projetos.
Queremos agradecer a assessoria do Dep. José Candido que nos ajudou neste momento e não nos abandonou um minuto.
E dizer que mesmo com essa derrota, não vamos desistir, pois essa palavra não existe em nossa comunidade.
À luta novamente!!!

Da Redacao