Dallas/Texas/EUA – Charles Chatmann (foto ao lado), um americano de 47 anos, que cumpriu 27 de prisão sob acusação de estupro, foi solto na última quinta-feira (03/01), depois de ficar provada sua inocência por um teste de DNA. Chatman foi condenado em 1.981, quando tinha 20 anos, a 99 anos de prisão, acusado de estuprar uma mulher branca que morava próxima a sua casa.
Durante o processo sempre afirmou não conhecer a mulher, e que estava trabalhando na hora em que ocorreu o crime, mas seu álibi foi ignorado pelos jurados. A mulher afirmava reconhecê-lo e testes mostraram que o sangue recolhido no local era do mesmo tipo que o seu.
“Eu fui condenado porque sou um homem negro acusado de cometer um crime contra uma mulher branca”, disse.
Com a ajuda da ONG Innocence Project, responsável pela libertação de mais de 30 inocentes condenados injustamente, desde 2.001, Chatmann conseguiu provar por meio de exames de DNA sua inocência.
Os exames tem sido responsáveis por provar a inocência de presos. Só no Texas, 15 detentos já deixaram as prisões. Agora ele planeja trabalhar na ONG auxiliando na libertação de outros condenados.

Da Redacao