S. Paulo – No período de 38 anos – de 1.968 a 2.006 – a freqüência relativa de negros em anúncios publicitários no Brasil atingiu o nível médio de apenas 4,20%, embora correspondam hoje a 49,5% da população brasileira.
A conclusão está na pesquisa “Participação e Representação Social de Indivíduos afro-descendentes Retratados em Anúncios Publicitários de Revistas: 1.968/2006”, do professor Luiz Valério Trindade e será apresentada como Dissertação de Mestrado em Administração na próxima sexta-feira, na Universidade Universidade Nove de Julho (Uninove), de S. Paulo.
Segundo Trindade, que investigou as representações sociais de negros em anúncios publicitários de revistas de grande circulação como Veja, O Cruzeiro, Exame, Pequenas Empresas Grandes Negócios, Cláudia e Nova, embora tenha crescido, particularmente no últimos 12 anos, a participação dos negros em anúncios publicitários é hoje de apenas 7,18%.
Na pesquisa, Trindade analisou 1.279 propagandas presentes em 76 exemplares das seis revistas para estudar de que forma os anúncios publicitários impressos retratavam os afrodescentes, a fim de identificar possíveis progressos ou retrocessos ou estabilizações na forma de representações dos papéis desempenhados por eles no contexto midiático. Ele também utilizou o método de Análise Qualitativa em duas propagandas de automóveis que continham, pelo menos, um personagem afro-descendente em seu contexto.
“Além da participação relativa inferior a 10%, que sinaliza certo grau de invisibilidade social, em termos de representações sociais foi possível constatar a existência de grande hiato entre a diversificada e crescente inserção social dos indivíduos afro-descendentes e a forma como são comumente retratados em anúncios”, conclui Trindade.
Banca examinadora
Quem estiver interessado em acompanhar, a defesa da tese de Dissertação está marcada para as 9h do dia 17/12 (quarta-feira), no prédio da Pós-Gradução da Universidade Nove de Julho (Uninove), no Bairro da Barra Funda.
A banca examinadora será formada pelos professores doutores Cláudia Rosa Acevedo (Uninove – Orientadora), Sérgio Luiz do Amaral Moretti (Uninove)e Carmen Lídia Ramuski (PUC-SP).

Da Redacao