Washington/EUA – Importantes líderes negros dos EUA de várias regiões do país, negam apoio aos latinos e não querem nem a lei de imigração que está em debate no Senado, e que tem o apoio do presidente George Bush.
A Lei abre caminho à legalização dos mais de 11 milhões de imigrantes ilegais, na sua maioria latino-americanos. Porém, desagrada também a comunidade latina por criminalizar os residentes ilegais, o que fez com que milhões de latinos tomassem as ruas das principais cidades americanas no dia 1º de maio em um protesto gigantesco.
Líderes como o reverendo Jesse Peterson são contrários até mesmo ao Projeto apoiado por Bush, alegando que os latinos tiram os postos de trabalho e são responsáveis pela queda de salários.
“A anistia não é boa para os afro-americanos. Precisamos fechar as fronteiras e limpar o nosso país”, disse o reverendo Jesse Peterson em coletiva de imprensa.
Para lutar contra o projeto de lei, os ativistas formaram uma coalizão chamada “Choose Black America” (“Escolha a América Negra”).
“Onde está Jesse Jackson, onde estão Bill Clinton e Hillary Clinton? Eles nos abandonaram por causa dos votos dos latinos”, afirma Peterson, mencionando democratas que historicamente ficam ao lado da minoria afro-americana.
Os hispanos hoje são a maior minoria dos EUA, com cerca de 42 milhões de habitantes legalizados, contra os 36 milhões da comunidade afro-americana.
“Somos contra os empregadores que pagam salários de escravos. Não vamos ser escravizados neste país outra vez”, disse Ted Hayes, que trabalha com indigentes em Los Angeles.

Da Redacao