S. Paulo – Em entrevista ao Portal G1, das Organizações Globo, o secretário municipal de Promoção da Igualdade Racial de S. Paulo, o vereador licenciado, empresário e cantor, Netinho de Paula, do PC do B, anunciou que pretende tentar novamente criar um canal de TV com conteúdo negro, semelhante a experiência da TV da Gente, canal que lançou em 2005, e que saiu do ar dois anos depois.

A entrevista foi dada no final de dezembro antes da posse do prefeito Fernando Haddad. Afropress já pediu entrevista a Netinho, que ficou de definir uma data nos próximos dias para falar das propostas e da estrutura que terá a frente da nova secretaria.

O canal sugerido por Netinho seria voltado para os paulistanos “mas com visão da população negra”. “O prefeito tem um compromisso comigo para que a gente possa viabilizar a frequência de um canal para dar visibilidade a todo material cultural nosso, onde a gente possa dialogar com as pessoas e exibir o conteúdo da população negra”, afirmou Netinho a repórter Tatiana Santiago, do G1, acrescentando que os recursos para a implantação e funcionamento da emissora poderão ter a participação da secretaria e de parcerias com empresas privadas.

A experiência da TV da Gente é contada no filme Raça, do diretor Joel Zito Araújo, que deve começar a ser exibido em circuito comercial a partir de março.

Na entrevista, Netinho, que terá como secretária adjunta a ex-ministra Matilde Ribeiro, disse que ainda não está definido qual será o orçamento da nova pasta, que deverá ter sua criação formalizada na proposta de reforma administrativa a ser enviada à Câmara a partir de 1º de fevereiro.

Reivindicação

Afropress apurou que há uma reivindicação ao prefeito de um orçamento de cerca de R$ 150 milhões e de uma estrutura de, pelo menos, 50 funcionários, parte dos quais cargos de confiança. Esse orçamento, porém, é considerado superestimado por lideranças próximas ao prefeito. Haddad estaria propenso a liberar no máximo 10% desse total – o equivalente a 15 milhões.

Para levar adiante os projetos, Netinho disse que está articulando parcerias e anunciou que terá reunião com Judith Morrison, representante do Banco Mundial para discutir a assinatura de convênios.

Com relação a estrutura, ele acredita que poderá contar com um número de 35 a 40 funcionários. “Vai ser uma secretaria que vai ter um bom potencial para executar programas com orçamento considerável, mas também uma secretaria que vai trabalhar de maneira transversal dialogando com todas as outras secretarias, seja na educação, no transporte, no trabalho, em todos os segmentos”, afirma.

Mercado de trabalho

Além do canal, Netinho disse que terá atenção especial ao mercado de trabalho e priorizará cursos de qualificação e parcerias com empresas privadas para inserção da população negra no mercado de trabalho em cargos de liderança.

“Eu costumo dizer que na periferia a gente não discute a questão racial, o problema é quando a gente vem para o Centro, onde estão as empresas e o poder econômico. A minha luta na secretaria é a questão do empoderamento”, destacou.

A gente pode fazer um projeto de inclusão verdadeiramente grande em S. Paulo, a exemplo do que é a cidade, para ter meninos nos cargos mais valorizados. A gente não quer fazer qualificação só para garçom. Nada contra, mas acho que a gente pode mais”, afirmou.

Outro tema que faz parte das prioridades da Secretaria será a implantação do sistema de cotas também no funcionalismo público municipal, porém, não está definido quando será implantado nem como funcionará.

O novo secretário também quer incentivar o turismo étnico e anuncia que já entrou em contato com entidades negras (não citou quais) para definir quais serão os pontos escolhidos. “A gente poder receber, dialogar e mostrar a nossa história na cidade. Isso tem muito a ver com autoestima e com geração de emprego. Estou conversando com o Flavio Dino, presidente da Embratur, para estruturar turismo étnico na cidade”, acrescentou.

Um dos pontos que deverá fazer parte do roteiro será a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, no Largo do Paissandu, centro de S. Paulo.

Foto: Divulgação/SBT

Da Redacao