S. Paulo – A professora Nilma Lino Gomes, conselheira do Conselho Nacional de Educação (CNE), se tornará a partir desta segunda-feira (01/04) quando toma posse em cerimônia prevista para as 15h no gabinete do ministro da Educação, Aloisio Mercadante, a primeira mulher negra na direção de uma instituição federal de ensino superior no Brasil.

Ela foi nomeada por Mercadante para assumir a reitoria da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (UNILAB), que tem sede na cidade de Redenção, no Ceará, cidade escolhida por ter sido a primeira a abolir a escravidão no Brasil.

A Universidade – criada por meio do Projeto de Lei 3891/08 – tem entre seus objetivos a formação de recursos humanos para desenvolver a integração entre o Brasil e os demais países da Comunidade der Países de Língua Portuguesa (CPLP), especialmente os países africanos. O vice reitor de Nilma será o economista Fernando Afonso Ferreira Júnior, que ocupava o cargo de pró-reitor de Planejamento.

Quem é

Nilma Lino Gomes é graduada em Pedagogia pela Universidade Federal de Minas Gerais e é mestre em Educação também pela UFMG. Tem doutorado em Ciências Sociais (Antropologia Social) pela Universidade de S. Paulo e pós-doutorado em Sociologia pela Universidade de Coimbra, Portugal.

No momento vinha exercendo a função de professora associada do Departamento de Administração Escolar da UFMG. No Conselho Nacional de Educação faz parte da Câmara de Educação Básica e foi a relatora do processo que questionava o racismo na obra de Monteiro Lobato.

A nova reitora da UNILAB tem experiência na área de Educação e Antropologia, com ênfase em Antropologia Urbana, atuando principalmente nos seguintes temas: organização escolar, formação de professores para a diversidade étnico-racial, movimentos sociais e educação, relações raciais, diversidade cultural e gênero. 

Da Redacao