Brasília – O novo ministro da Cultura, Juca Ferreira, deverá escolher até o final deste mês o presidente da Fundação Cultural Palmares – autarquia vinculada ao MinC e primeiro órgão federal criado para promover a preservação, a proteção e a disseminação da cultura negra bem como formular e executar políticas que potencializem a participação dos negros brasileiros.

A escolha deve se dar entre três nomes que – diretamente ou por meio de apoiadores – se movimentam para ocupar o cargo: o atual presidente, o diretor de teatro, Hilton Cobra, o Cobrinha, a Secretária Nacional de Combate ao Racismo, Cida Abreu (foto ao lado), e o ex-secretário adjunto da SEPPIR e diretor do Departamento de Fomento e Promoção da Cultura Afro-Brasileira da Palmares cargo que ocupou até ser exonerado em maio de 2013, Martvs Chagas.

Pior gestão

Cobrinha (foto abaixo) cuja gestão é considerada a pior desde que a Palmares foi criada em 1.988, tem poucas chances de se manter no cargo. Segundo analistas, pesam contra ele, além da gestão medíocre, as desavenças públicas do atual ministro com sua antecessora, responsável por sua nomeação, a senadora Marta Suplicy. Marta e Juca tem travado polêmica pública e trocado acusações, inclusive pela imprensa.

A responsável pelo setorial de negros do PT, Cida Abreu, também se movimenta nos bastidores do Partido, porém, teria poucas chances, não só pela falta de experiência técnica na área cultura como por não ter perfil de gestora, mas de ativista.

Mais chances

Entre os três nomes cogitados, o que aparece com mais chances de ser escolhido, é Martvs Chagas. Martvs (foto na capa) é um dos formuladores da política que levou à criação da SEPPIR.

Como diretor do Departamento de Fomento e Promoção da Cultura Afro-Brasileira da Palmares, destacou-se pela capacidade de diálogo com amplos setores do movimento negro e pelo perfil de gestor.

Com presença sólida no partido, especialmente, no PT de Minas, onde destacou-se como um dos coordenadores na campanha pela eleição do governador Fernando Pimentel, ele tem a seu favor ainda, o bom trânsito com a professora Nilma Lino Gomes, como ele também de Minas, nomeada pela Presidente Dilma Rousseff para ministra da SEPPIR.

Da Redacao