Saíram de 106 deputados eleitos em 2002 e vão estão com 56 em 2010, não governam nenhuma unidade federativa no momento e seus principais representantes em mandatos estão enrascados em pleno ano eleitoral.
Em São Paulo, Gilberto Kassab quase perdeu o mandato não fosse uma jurisprudência utilizada amiúde para casos de uso de dinheiro ilegal em campanhas. Já no DF, caiu Arruda, que está preso, e se jogou Paulo Octavio,que ficou sozinho. Agora o DF corre o risco de intervenção federal se o atual mandatário, o presidente da Câmara Legislativa do DF (do PR) também sucumbir, pois o chefe do judiciário local já adiantou que não assume.
E neste imbróglio, que derrotou quase que uma oligarquia toda do DF, faltando apenas o Patriarca, Roriz, o diretório local que resolveu apoiar o ex-governador Arruda na crise é que vai sofrer “intervenção”. Hoje o Democratas pode dissolver o diretório e delegar a tarefa de reconstruir o partido no DF para o estado de Goiás. Pode?
Para quem apoiou torturadores e se arvoram Os democratas pode. Penso, cá com meus cadarços, qual é a ideia de partido que vigora entre estes senhores. Certamente não será a de uma pessoa de esquerda, mas não acho que se deva perder a noção.
O professor Valter Silvério, no IV Seminário da Juventude Negra do PT, disse que a juventude da direita brasileira não é liberal. Ele defende, com seus bons argumentos, que esta juventude é pré-liberal, pois são patrimonialistas. O que isto significa? Que a direita transferiu muito bem seus valores a seus caudatários. Que, corroborando com os argumentos do professor, segue a lógica do patrimonialismo.
O patrimonialismo trata a política e a coisa pública como uma extensão da espera privada, assim, uma posição política é mais uma conquista pessoal,uma posse que faz parte e server ao patrimônio pessoal de um político.
É assim que tratam a Universidade Pública e escancaram isso na Ação Direta de Insconstitucionalidade que movem contra a UnB, as ações afirmativas,a juventude brasileira e o seu direito à Educação Pública, Gratuita e de Qualidade; é assim que tratam o direito à terra, com outra ADIN,contra o Decreto 4887/2003 de regularização de terras quilombolas.
Assim é com a coisa pública, o trato com a política, com os cargos etc. etc.
Vejam como estão os “novos quadros” do DEM. É por ser pré-liberal e patrimonialista que na Bahia, os filhos e netos de ACM protagonizam o retrocesso; por isso que no Rio quem está sobranceiro ao partido é o filho de César Maia; pelo mesmo motivo é que Paulo Bornhausem manda ver na Câmara dos Deputados.
Estes bisonhos príncipes tem a fortuna é de serem aparentados por poderosos (ainda que rotos)patrimonialistas, que, não tendo um programa político moderno, tem sua única forma de manter o poder através da linhagem familiar. E isto é a própria vitória para um pré-liberal.
Faltou dizer que os Democratas que tinham a vice-Presidência de 1994 a 2002 perderam em 2008 40% das prefeituras. É tanta amargura para eles. É pela mesma razão de serem patrimonialistas este definhamento: por que não vivem senão tiverem instrumentos fisiológicos de ampliar seus poderes, ou posses – mais apropriado.
Estes são muitos diversos do PT, que cresce nas adversidades e sobeja, nada de braçadas, bomba, em situações favoráveis. É por isso que vai ganhar as eleições deste ano.
A bancarrota desta funesta legenda é resultado da política democrática que o Partido dos Trabalhadores promove no Brasil e da cultura política que isso produz, praticando a autonomia entre os três poderes. E certamente será fortalecida com uma figura com o rigor, o ascetismo e a austeridade de Dilma como nossa representante maior. Mas há um desafio pela frente.
O crime e os criminosos
Peço licença para elocubrar sobre o que ainda não está posto. O DEM está acabado, mas muitos dos seus prefeitos sairam do partido para se tornarem base do Governo Federal em legendas de aluguel. Há ainda uns prefeitos que se mantém na legenda e fazem campanha para o PT apenas por este ser Governo com alta aprovação.
O desafio é, acabado o seu baluarte, acabar com o próprio patrimonialismo.Não podemos ficar refém destes apoiadores que só o são por estarmos onde estamos, por cima. Se assim for, serviremos de criadouro mais fértil do que o próprio partido travesti.
Voltando às vacas frias
O DEM vai gabar de ter expulsado os seus corruptos dilacerados, vai se comparar com o PT e dizer que são diferentes porque expulsam os acusados e dissolvem diretórios. Mesmo que não o façam, apenas cogitar a possibilidade de acabar com o DR do DF mostra quem são e deixa explícita a diferença com qualquer partido que se respeita.
Assim, sem programa político, servindo apenas para enriquecer os seus e depredando o patrimônio público, fica fácil acabar com um Diretório Regional que há pouco era o único que comandava uma unidade federativa.

Paulo Ramos