Os ataques que estão acontecendo estão trazendo insegurança a todos e, principalmente, aqueles que sempre são discriminados. Esta instalado o derramamento de sangue em todo o Estado. O Estado parece ter dado carta branca para execuções. Situações em que motos são vistas e cápsulas como a de ponto quarenta, utilizada por policiais são encontradas. Como explicar isso com tantos policiais nas ruas e ninguém consegue abordar em flagrante nenhum veículo destes. O negro é inserido nessas execuções e passa a ser um alvo fácil e qualquer atitude pode ser fatal; em todo sentido de abordagem o negro está em perigo.

Estão generalizando a criminalidade, para ser mas preciso, hoje se uma pessoa é morta é colocada como se tivesse havido reação, e quem investigará isso?. O Brasil tem de mudar a forma da Ouvidoria de Polícias, o local onde ocorre o crime deve ser isolado pela Ouvidoria e aí começaria a investigação. A forma de abordagem ao negro é diferenciada ainda mais nos dias de hoje. Este padrão tem de ser mudado por políticas internas na corporação, e isto não esta sendo feito, infelizmente.

Dias atrás chegou ao conhecimento da entidade através de uma ativista que dois moradores de rua sendo eles o senhor João Caetano Matias e o um senhor conhecido por Gaúcho apanharam muito da Guarda Municipal em data de 3/10/2012. O senhor Gaúcho está com o pescoço machucado e o senhor Caetano teve o nariz quebrado. O senor Gaucho está com dificuldade para comer, devido a lesões no pescoço e a última informação é de que está internado. Alguma autoridade tomou providência? A naturalidade dos ataques está espalhando medo e terror, sendo eles negros e pobres. E deve-se atenção e seja ele quem for.  

Agora as autoridades estão declarando de que há indícios fortes de que há um grupo possivelmente ligado a Polícia, até porque as informações se a pessoa tem passagem pela Policia. Infelizmente a  maioria que esta morrendo é negro, até quando…?

Luis Carlos dos Santos