Na Exposição são expostas imagens fotográficas da vida cotidiana dos africanos do Mali e a realidade dos tuaregues, a vida urbana em Dakar, capital do Senegal, e o contraste com as paisagens rurais das aldeias ao sul do país; a exibição de ritos e cerimônias na Costa do Marfim e a cidade de Praia, Capital de Cabo Verde. Os trabalhos são o resultado de uma viagem que permitiu a Eufrate por três meses conhecer vários países africanos.
“A realidade sócioeconômica e a riqueza cultural dos povos africanos são pontos desconexos do imaginário da maioria do povo brasileiro”, afirma o fotógrafo.
Iluminação
Com vários cursos nos quais especializou-se em revelação, ampliação e iluminação, e mais de 60 exposições no curriculum, Eufrate diz que começou a fotografar influenciado pela televisão. “Venho de uma família de fotógrafos. Foi a televisão que me fez fotógrafo porque as revistas quando fotografavam os negros eles estavam sempre em segundo plano e fora de foco e havia sempre a preocupação de clareá-los”, enfatiza.
Foi aí que começou a sua verdadeira obsessão com a questão dos tons da pele, o tipo de maquiagem destinada aos negros, a preocupação dominante na sociedade em sempre realçar o padrão de beleza da mulher branca. “O problema da iluminação está diretamente relacionado à falha do profissional da fotografia para atingir outras tonalidades. Fotografar negros exige do fotógrafo a preocupação em buscar um tipo de iluminação diferente”, acrescenta.
Entre os cursos de especialização destacam-se o de Fotografia pelo Museu Lazar Segall (1993), o de Revelação, Ampliação e Iluminação, promovido pela Kodak, em 1.995, Especialização em Fotojornalismo, pela Fuji do Brasil, em 1.994, Especialização em Retratos pela Escola Paulista de Arte Fotográfica, em 1.994 e Aperfeiçoamento em Retratos e Iluminação Étnica, em Dakar, Senegal, em 1.996.
A exposição de maior destaque mostrou a saga das comunidades remanescentes de Quilombos do Vale do Ribeira-SP, em 1996, quando mostrou a resistência dos quilombolas pelo direito de permanecer em suas terras e preservar a herança cultural deixada pelos ancestrais.
Eufrate também tem trabalhos nos EUA, onde participou da 2ª Bienal Afro-americana de Cultura, em San Diego.
Confira a programação da XI Semana da África 2009.
EXPOSIÇÃO FOTOGRÁFICA
De 09 a 31 de maio de 2009
“Pontos de Vista: Arte e Cultura”.
Sob esses pilares a Exposição da “XI SEMANA DA ÁFRICA 2009”, revela imagens inusitadas de países africanos e amplia os horizontes do observador, sob o ponto de vista de especialista.
LOCAL: UNESP – Universidade Estadual Paulista, ao lado do terminal Barra Funda,
acesso para veículo: Entrada pela Rua Dr. Bento Teobaldo Ferraz, 271.
Pedestre: Entrada pela lateral do terminal Barra Funda, lado mais próximo da Av. Marquês de São Vicente.
ABERTURA: 08/05/09
HORÁRIO: 17:00hs.
VISITAÇÃO: De 09 a 31, de segunda a sábado, das 09:00 às 17:00hs.
PRODUÇÃO E CURADORIA: Eufrate Almeida – repórter fotográfico.
O evento ainda contará com uma palestra, sob o tema Cabo Verde: Música, Pintura e Literatura, ministrada pela professora Simone Caputo Gomes – FFLCH/USP – e apresentação do Grupo Koteban.
A Exposição “Pontos de Vista: Arte e Cultura” é uma iniciativa do Fórum África em parceria com o Programa de Pós-Graduação em Artes, da UNESP-Universidade Estadual Paulista Campus de São Paulo.
Instituto de Artes Coordenação: Prof. Dra. Lalada Dalglish.
Contato: 11- 5627 7012.
ABERTURA OFICIAL DA “XI SEMANA DA ÁFRICA”
TEMA: África: História, aspectos socioculturais e políticos.
ABERTURA: Prof. Dr. Saddo Ag Almouloud (PUC/SP) – Presidente de Fórum África
Prof. Dr. Kabengele Munanga (USP) – Presidente de Honra de Fórum África
Prof. Dr. Boni Yavo (Universidade Nove de Julho) – Presidente de Honra de Fórum África.
LOCAL: Câmara Municipal de São Paulo – Viaduto Jacareí, 100 – Bela Vista, 1º andar.
DATA: 25/05/09
HORÁRIO: 19:00hs.
DEBATES E REFLEXÕES
CONVIDADOS
Prof. Dr. Boubacar Barry – University Cheikh Anta Diop, Senegal.
Prof. Dr. Bahi Aghi – Universidade de Cocody, Côte d´Ivoire.
Prof. Dr. Simão Souindoula – Vice-Presidente do Comitê Científico Internacional
do Projeto da UNESCO “A Rota do Escravo”.
CURSOS
De Terça a Quinta-Feira – de 26 a 28 de maio
LOCAL: Centro de Ciências Exatas e Tecnologia da PUC/SP, Rua Marquês de Paranaguá, 111, Consolação, São Paulo-SP (entre as ruas Consolação e Augusta)
TEMA NORTEADOR: África: História, aspectos sócio-culturais e políticos
As inscrições serão prévias e o curso dará direito a certificado de participação.
HORÁRIO: das 14:00 às 17:00hs.
PROGRAMAÇÃO DO CURSO
TEMA 1: Guerras e etnias na África
DATA: 26 e 27 de maio
CARGA HORÁRIA: 6 horas
CONVIDADOS
Prof. Dr. Augustin Emane – Faculdade de Direito de Nantes – França.
Prof. Dr. Fily Kanouté – CECAFRO/PUCSP, Centro de Estudos Culturais Africanos e da Diáspora da PUC/SP.
TEMA 2: África e Arte Negra: Significação pelo Povo e para o Povo.
DATA: 28/05/09
CARGA HORÁRIA: 3 horas
CONVIDADOS
– Prof. Dr. Simão Souindoula – Vice-Presidente do Comitê Científico Internacional do Projeto da UNESCO “A Rota do Escravo”.
– Profa. Maria Cecília Felix Calaça – Professora Mestre da Universidade Paulista.
PROJEÇÃO DE FILMES
CINECLUBE, RUA AUGUSTA, 1239
FILME: Hotel Ruanda
DATA: 26/05/09
HORÁRIO: 19:00hs
FILME: Diamante de Sangue (Edward Zwick)
DATA: 27/05/09
HORÁRIO: 19:00hs
FILME: Bamako (Abderrahmane Sissako)
DATA: 28/05/09
HORÁRIO: 19:00hs
PRÊMIO KABENGELE MUNANGA
Sexta-Feira: 29 de maio de 2009
LOCAL: Centro de Ciências Exatas e Tecnologia da PUC/SP, Rua Marquês de Paranaguá, 111, Consolação, São Paulo. (entre as ruas Consolação e Augusta).
HORÁRIO: Das 14:00 às 17:00hs.
PRÊMIO KABENGELE MUNANGA
Apresentação em forma de sessões coordenadas, seguidas de debates sobre os trabalhos selecionados para concorrer ao prêmio.
JANTAR CULTURAL
Sábado: 30 de maio de 2009
O evento festivo será um jantar, com prato típico africano e apresentação cultural.
DATA: 30 /05/09.
HORÁRIO: Jantar e apresentação cultural: das 20:00 às 23:00hs.
LOCAL: Rua dos Franceses, 518 – Bela Vista- São Paulo – Buffet Hasbaya
CONVITES: R$ 70,00. (Compra antecipada até o dia 28/05).
TRAJE: Social completo ou vestimenta típica africana.

O repórter fotógrafo Eufrate Almeida em entrevista para a Afropress.