A Justiça, a Ética e a Moral no Brasil estão de luto. Para tristeza geral do país, o homem negro que honrou a raça e não se vendeu para os poderosos, o ministro Joaquim Barbosa, afirmou no triste dia 29 de maio que deixará Supremo Tribunal Federal, no final de junho.  A decisão, segundo ele, é atribuída ao “livre arbítrio”. O ministro afirmou ainda que o caso mensalão está “superado”.

O ministro com justiça e seriedade colocou na cadeia políticos brancos e ricos causando rancor, ódio e gerando perseguição pelo Partido dos Trabalhadores. O PT, até então, vendia ao povo brasileiro a sua imagem de fomentador da Ética e da Moral.

Destilando seu ódio contra o ministro Joaquim Barbosa o PT conseguiu o que parecia impossível: arregimentou “líderes” dos emporcalhados movimentos negros, chafurdados em siglas como SEPPIR, SUPIR e outras agências vendilhonas da causa negra, que passaram a ameaçar de morte e atacar a pessoa do honrado ministro.

Até mesmo parlamentares negros, como o deputado federal Vicentinho, levantaram suas vozes odiosas para atacar o ministro. Eis o que disse o deputado Vicentinho, líder do PT na Câmara, nesse dia 29/05: “É importante a presença de um negro no STF, mas considero que houve posturas de "intolerância" e "ódio" no mandato de Barbosa”. É deputado Vicentinho ou capitão do mato Vicentinho?

Inconformados por verem o ministro Barbosa mandar para o presídio os medalhões do partido, envolvidos no escândalo do mensalão, petistas iniciaram uma cruel e hedionda perseguição. Para não passarem por racistas, foram buscar na lama dos movimentos negros um bando de vendilhões da raça, que há décadas negocia a causa negra posando de “líderes” e “ícones da resistência”.

Um desses negros porcalhões, que emergiu da lama dos movimentos negros, é o capitão do mato Sérvolo Oliveira Silva, alvo de Inquérito aberto pela PF por ameaças de morte ao ministro Joaquim Barbosa. Em rede social o energúmeno petista, além de ofensas pessoais, prometeu que o Ministro levaria uma bala na cabeça.

Outro negro, também petista, e também apresentado como líder de movimento negro, Rafael Pinto, uma das principais lideranças negras do PT, membro da Coordenação Nacional de Entidades Negras (CONEN), articulação que reúne ativistas e militantes ligados ou próximos ao Partido, afirmou no domingo (11/05), em entrevista à Afropress: “Tenho divergências da forma como o Joaquim Barbosa se comporta e se conduz. Joaquim Barbosa ao ocupar esse espaço no Supremo, ele representa todos nós. Tenho divergências na maneira como ele se comporta na condução de sua atuação, enquanto representante da Suprema Corte. Tenho uma avaliação de que o comportamento do Joaquim fecha as nossas portas”, enfatizou.

Meus amigos, essas falas são de um negro, de movimento negro. É trágico, mas é verdadeiro.

Desde que resolvi sair da situação de comodismo que me encontrava até então, e resolvi me levantar contra esses porcalhões, que da maneira mais descarada possível, barganham a raça e a causa negra nos gabinetes de partidos políticos, outras vozes prometeram se juntar a minha. Vozes que também nunca foram representadas por esses e essas defensoras da causa negra. Na verdade, mercadores da raça negra.

Todos nós, negros e negras honrados, de caráter e comprometidos com a verdadeira causa da raça, com a saída de cena do Ministro Joaquim Barbosa, perdemos esse rodada.

O PT e seus neguinhos amestrados venceram essa. E basta!

A luta está apenas começando.

*O título original do artigo é "O PT e os seus negrinhos amestrados do Movimento Negro venceram: o ministro Joaquim Barbosa vai sair de cena".

 

Flávio Leandro