Ativista do movimento negro desde os anos 70, um dos fundadores do Instituto de Pesquisas das Culturas Negras do Rio, Medeiros, 60 anos, é presidente do Centro Brasileiro de Informação do Artista Negro (Cidan), fundado em 1.984, pela atriz Zezé Mota e foi um dos subscritores do documento entregue ao STF em defesa das cotas e ações afirmativas.
A nomeação de Medeiros para a Coordenadoria criada por Paes, e que terá status de Secretaria, foi precedida de uma polêmica entre lideranças negras por conta de um documento sem assinaturas lançado por negros ligados ao PMDB carioca e endereço a Paes, expresssando decepção por “absoluta falta de comunicação com aqueles que não medeiram esforços para organizarem esse segmento na sua campanha”. O documento nunca teve a autoria assumida.
A indicação de Medeiros, segundo se sabe, foi feita pelo ministro chefe da Secretaria da Igualdade Racial (Seppir), deputado Edson Santos, que integra o grupo político da ex-governadora Benedita da Silva e o ex-deputado cassado José Dirceu.
A posse de Medeiros ainda não foi marcada, mas deve acontecer até o final deste mês.
Leia, na íntegra, a entrevista de Medeiros para a Afropress
Afropress – Quais serão as suas prioridades à frente da Coordenadoria Especial da Igualdade Racial, com status de Secretaria criada pelo prefeito Eduardo Paes?
Carlos Alberto Medeiros – Trata-se, na verdade, de uma Coordenadoria Especial com status de Secretaria. Nossas prioridades são: a implementação da Lei 10.639; o enfrentamento da anemia falciforme; o apoio aos remanescentes de quilombos do Sacopã, Marambaia e Pedra do Sal; o combate à discriminação no mercado de trabalho, incluindo a realização de pesquisas capazes de comprová-la, como os chamados “testers”; a luta contra a intolerância religiosa; a revitalização do Conselho Municipal de Defesa dos Direitos do Negro (Comdedine) e do Centro Cultural José Bonifácio. Tudo isso será feito em parceria com órgãos dos governos municipal, estadual e federal (particularmente com a SEPPIR), com organismos internacionais e também com organizações da sociedade civil.
Afropress – Como será a interlocução com a sociedade, em especial com os Movimentos Sociais Negros – suas entidades e articulações?
Medeiros – Sou, antes de tudo, um militante do movimento social, com o qual pretendo manter um diálogo constante.
Afropress – Qual a estrutura da Secretaria e o orçamento do novo órgão?
Medeiros – Minha nomeação se deu sexta-feira última, e estamos num feriado prolongado devido ao Dia de São Sebastião, padroeiro da cidade, de modo que ainda desconheço orçamento e estrutura. Só sei que serão enxutos.
Afropress – Faça as considerações que julgar pertinentes.
Medeiros – Encaro o cargo que me foi oferecido como um imenso desafio. Espero vencê-lo, fazendo dessa Coordenadoria uma referência positiva para todo o Brasil. O Rio tem essa característica de caixa de ressonância, o que aumenta a responsabilidade, ao potencializar os resultados. O primeiro passo é a montagem de uma equipe competente e comprometida, sem o que a tarefa se torna impossível. Depois, vamos seguir nossas prioridades e estabelecer uma aproximação com nossos potenciais parceiros. Teremos de vencer prevenções mostrando trabalho.