Harlem/NY – Sob um friozinho típico do início de primavera novaiorquino, o presidente Barack Obama, começou nesta terça (29/03), em um jantar no Bairro negro do Harlem – o mais famoso e conhecido bairro negro dos EUA – a sua campanha de arrecadação de fundos para a reeleição à Casa Branca, em 2012.
Foi a primeira vez que o Presidente voltou ao Harlem, depois de chegar à Casa Branca. O convite para jantar com o Presidente, que aconteceu no famoso Restaurante Red Rooster, do cozinheiro Marcus Samuelsson, custou cerca de US$ de 30 mil. Os organizadores pretendiam arrecadar US$ 1,5 milhão para o Comitê de Campanha à Reeleição.
Aparato de segurança
A visita de Obama a Nova York movimentou a segurança que envolve os deslocamentos de todo presidente americano – uma multidão de policiais, atiradores de elite estrategicamente distribuidos nos telhados de prédios e pessoal do serviço secreto.
A estação do Metrô da 125 foi fechada. As pessoas tinham de descer uma estação antes ou depois, porque a programação de visitas incluía a esquina da avenida 125 com Avenida Lenox.
Alem do jantar, à noite, Obama esteve na Rua 42 com a 1ª Avenida, prédio das Nações Unidas para participar das homenagens a Ronald H. Brown, secretário de Comércio durante a presidência de Bill Clinton, morto em um acidente de avião na Croácia, em 1.996. Brown, que nasceu em Washington mas cresceu no Harlem, foi o primeiro afro-americano a se tornar Secretário do Comércio dos EUA.
Pela manhã, acompanhado do prefeito Michael Bloomberg, o presidente americano visitou o Museu de História Natural e falou com estudantes das escolas públicas que estavam no local para uma feira de ciências.
Obama encerrou a visita a Nova York no Museu “Studio Museum of Harlem”, onde aproveitou para agradecer a multidão de voluntários que o ajudaram na campanha à Casa Branca. Ainda nesta terça-feira, Obama retornou à Washington, onde, nesta quarta-feira, fará, na Casa Branca, um discurso sobre a importância da independência energética para os EUA.

Da Redacao