Ouro Preto/MG – Ouro Preto, cidade histórica a 89 km de Belo Horizonte, passou a ter um novo texto na bandeira com a troca da frase em latim “proetiosum tamen nigrum” (precioso ainda que negro), em referência ao ouro coberto por óxido de ferro da região, por “proetiosum aurum nigrum” (precioso ouro negro).
A lei mudando a bandeira foi sancionada pelo prefeito Ângelo Oswaldo, do PMDB, para quem a alteração dos dizeres da bandeira da cidade é uma antiga reivindicação de intelectuais, movimentos negros e até de turistas de Ouro Preto.
“Muita gente considerava que a bandeira tinha caráter preconceituoso ou pejorativo em relação à condição negra”, afirmou o prefeito. O primeiro hasteamento da nova bandeira acontecerá neste domingo, dia 20 – Dia Nacional da Consciência Negra.
Segundo o prefeito, a palavra “tamen” (ainda que) da bandeira ouro-pretana era inspirada no lema dos inconfidentes mineiros do século 18 – “libertas quae será tamen” (liberdade ainda que tardia). O nome Ouro Preto foi adotado em 1823, com a elevação da antiga Vila Rica, ao status de cidade.
“Perfeita na bandeira de Minas, a palavra “tamen” é constrangedoramente estampada na bandeira de Ouro Preto implicando desculpas e explicações que não convencem”, afirmou o prefeito, ao encaminhar projeto de lei à Câmara propondo a alteração. Cerca de 70% dos habitantes de Ouro Preto são afrodescendentes.

Da Redacao