S. Paulo – O senador Paulo Paim lança no próximo dia 25, em S. Paulo, a segunda etapa da campanha popular de coleta de assinaturas em defesa da aprovação do Estatuto da Igualdade Racial, projeto de sua autoria que tramita no Congresso desde 1.995. Paim começa sua agenda em S. Paulo com uma palestra na CONAD – Comissão do Negro e Assuntos Anti-Discriminatórios da OAB, às 14h; em seguida, às 15h45, se dirige ao Sindicato dos Comerciários, onde falará aos trabalhadores; a última etapa da visita será às 17h, quando será recebido na Universidade Zumbi dos Palmares, campus da Barra Funda.
Toda a programação foi definida entre as lideranças do Movimento Brasil Afirmativo, que convidaram o senador petista, com os presidentes da CONAD, Marco Antonio Zito Alvarenga, do Sindicato dos Comerciários, Ricardo Patah, e do Reitor da Zumbi dos Palmares, José Vicente. A Campanha pelo Estatuto tem o apoio da Afropress, que lançará plásticos com os dizeres “Estatuto da Igualdade – Carta de Alforria do Brasil. Votação, já!”.
Os locais foram escolhidos pelo simbolismo da OAB, como entidade com tradição na luta pelas liberdades democráticas e por cidadania; do Sindicato dos Comerciários, que encabeça a luta por cotas para negros no mercado de trabalho, em S. Paulo; e da Faculdade Zumbi dos Palmares, que tem 80% do seu corpo docente formado por negros e negras, representando o papel da Educação na luta por inclusão e cidadania no país.
Nos três locais por onde passará haverá mesas de coleta de assinaturas em defesa do Estatuto. A proposta do Movimento Brasil Afirmativo é recolher, até julho, 100 mil assinaturas de S. Paulo, que serão entregues por uma comissão de lideranças negras e anti-racistas de S. Paulo, comprometidas com a luta por igualdade aos presidentes da Câmara e do Senado, respectivamente, Arlindo Chinaglia e Renan Calheiros.
Sensibilizar a sociedade
Segundo Daniela Zeidan, liderança do Movimento Brasil Afirmativo e pastora da Comunidade Pão da Vida, de S. Paulo, a presença do senador Paim para lançar a segunda etapa da campanha é um momento importante que toda a sociedade, a começar pelas entidades e lideranças negras, se sensibilize. “A luta pela aprovação do Estatuto é a luta por um Brasil Afirmativo”, afirmou.
O presidente da CONAD, advogado Zito Alvarenga, disse que a Ordem dos Advogados de S. Paulo, por intermédio da Comissão do Negro e Assuntos Anti-Discriminatórios, tem posição clara em defesa do Estatuto da Igualdade Racial. “Na outra oportunidade em que esteve fazendo palestra na OAB o senador Paim teve oportunidade de ouvir nossa posição amplamente favorável”, lembrou.
A campanha popular de coleta foi lançada em julho do ano passado, quando da mobilização para a Parada Negra realizada em 20 de Novembro – Dia Nacional da Consciência Negra. O Projeto do senador Paim sintetiza aspirações históricas da população negra brasileira e prevê a adoção de cotas na Universidade, na mídia e no mercado de trabalho, entre outras reivindicações.
Além da defesa do Estatuto, o Movimento Brasil Afirmativo defende no Abaixo-Assinado a aprovação do Projeto 73/99, que prevê cotas no acesso às Universidades para alunos oriundos da escola pública com reserva de vagas para negros e indígenas na proporção da sua presença na população.
Mobilização
Após o lançamento da segunda etapa, as lideranças do Movimento Brasil Afirmativo pretendem organizar mutirões de coleta pelas ruas, associações de bairro, igrejas, sindicatos e entidades populares. A campanha também deverá se estender pelo interior do Estado. Neste sentido, estão sendo feitos contatos com a Educafro, do Frei David, com as Centrais Sindicais e com o Inspir – Instituto Latino Americano para a Igualdade Racial – além das entidades negras e anti-racistas comprometidas com a defesa do Estatuto.
Cidades como Catanduva já aderiram a campanha, segundo informa Regina Aparecida da Silva Nascimento, vice coordenadora da Pastoral Afro-Brasileira, o mesmo ocorrendo com Bauru, onde o presidente do Conselho da Comunidade Negra, Duílio Duka de Souza, disse que está programada a coleta de assinaturas.
As lideranças e entidades interessadas em participar da campanha passando a lista do Abaixo-Assinado em suas cidades, devem fazer contato com a Afropress, solicitando o modelo para reprodução.

Da Redacao