Zâmbia – A Igreja Universal do Reino de Deus, do bispo Edir Macedo, que persegue sistematicamente as religiões de matriz africana, começa a ser expulsa da África. As autoridades do Governo de Zâmbia, um país africano cristão, acusam os bispos da Universal de satanistas e querem vê-los fora do país.
“Há relatos de que dois homens dentro da igreja foram pintados e que a mesma igreja estava praticando o satanismo. As revelações sobre a Igreja Universal levaram o governo a suspender as operações da igreja imediatamente”, disse em nota Peter Mumba, secretário de assuntos internos.
Não é a primeira vez que a Igreja de Edir Macedo é banida de Zâmbia. Na primeira vez, em 1.999, também foi acusada de satanismo. Na ocasião, apelou e recuperou a autorização para voltar.
A revolta dos fiéis de Zâmbia começou no sábado, quando dezenas de pessoas quebraram os vidros de um novo prédio construído em Lusaka, depois de saberem que duas pessoas que teriam entrado para rezar, teriam sido forçadas a se despir e tiveram seus corpos pintados.
Além de Zâmbia, Madagascar também proibiu a instalação de uma filial da Igreja, medida criticada por líderes religiosos locais e defensores dos direitos humanos.
A Universal, fundada no Brasil em 1.977 tornou-se um produto de exportação: opera em 90 países, inclusive Estados e países da Europa e Ásia.

Da Redacao