Rio – A primeira medalha de Ouro conquistada pelo Brasil nos Jogos Pan-Americanos do Rio, é negra: o brasileiro Diogo Silva, venceu o peruano Peter Lopez, na final do taekwondo, categoria até 68 kg, com vantagem de 3 a – 1 e conquistou a medalha inédita para o taekwondo brasileiro.
Diogo, que é paulista de S. Sebastião, e ensina a modalidade para crianças na Ponte Preta de Campinas, onde vive, havia passado para a final no sábado, vencendo Yacomo Garcia, da República Dominicana.
Com o resultado, o Brasil subiu para a quinta posição no quadro geral de medalhas do Pan, com 12 medalhas no total – uma de ouro, seis de prata e cinco de bronze.
É a primeira vez que o Brasil conquista uma medalha de Ouro nesse tipo de esporte, depois de ganhar duas medalhas de bronze no Pan-2003 e dois quartos lugares nos Jogos Olímpicos de Atenas, em 2.004.
Diogo, campeão do Pré-Olímpico de 2004, teve uma participação marcante nas Olimpíadas de Atenas, quando chegou à decisão do bronze, perdendo a medalha para o sul-coreano Myeong Seob Song. Ele entrou na luta com uma luva preta dos Black Panthers (Panteras Negras, movimento de militantes negros norte-americanos no final da década de 60), que o juiz o obrigou a tirar. O objetivo era protestar contra a falta de apoio ao esporte no país. “É uma luva dos Black Panthers, um sinal de protesto, da indignação. Por mais que a gente batalhe, nosso sacrifício não é recompensado. Foi meu protesto para que o Brasil veja a dificuldade que o esporte amador enfrenta. A gente merecia mais apoio do governo e dos empresários”, desabafou o lutador, na ocasião.
No Pan de Santo Domingo-2003, Diogo Silva foi o primeiro atleta da seleção de taekwondo a conquistar uma medalha para o Brasil, na categoria até 68 kg. Antes havia conseguido outro bronze, no Mundial Júnior, em 1998. Em 2001, ficou em nono lugar no Mundial Adulto.
Estreante em Olimpíadas, ele partiu para esta modalidade porque “queria aprender a chutar como os atores nos filmes de luta”. Tinha preferência pelo judô, mas assistiu a uma aula de taekwondo e gostou. Quando encerrar a carreira Diogo Silva diz que vai “largar tudo e ir para a Jamaica surfar e cantar reggae”.

Da Redacao