Salto/SP – "A responsabilidade de discutir temas como Democracia e Desenvolvimento numa Conferência Estadual, tema sobre o qual a maioria da população brasileira, ainda sequer faz ideia é, sem dúvida, um desafio muito grande para quem só quer, ao fim do dia, ter para onde voltar e, entender, porque para muitos tudo é tão difícil e desigual". A opinião é de José Roberto Benedito, coordenador da Igualdade Racial da Estância Turística de Salto, e organizador da Conferência regional que reuniu as cidades da região de Sorocaba, interior de S. Paulo.

A Conferência aprovou, entre outras propostas, cotas no serviço público estadual e a inserção na grade curricular dos agentes de segurança pública (Polícias Militar e Civil e Guardas municipais), cursos de capacitação e treinamento permanente visando a humanização das ações no trato com a juventude negra. Foram eleitos 31 delegados que começam a chegar nesta sexta, a S. Paulo.

Propostas

Para Benedito, é fundamental entender o significado das palavras e transformá-las em verdade para que as propostas dessas Conferências não fiquem simplesmente no papel. “Foi isso que a Conferência Regional de Sorocaba, sinalizou. Uma nova ponte. Queremos saber onde nos levará. Mesmo com os interesses dos infiltrados, de todas as ordens e lugares, não há como voltar”, destacou.

Segundo o ativista, há uma expectativa muito grande de que as propostas, saídas das plenárias Municipais, Regionais e as que sairão das Estaduais, tragam luzes e força para construção e instrumentalização de pontes, capacitadas para o enfrentamento ao racismo institucionalizado e cumprimento das leis, que atendem as demandas, respeita a equidade, sem exclusão das demandas específicas”, finalizou.

Da Redacao