S. Paulo – Rosemar Luiz da Rosa Lopes, ou Rosemar Barack Obama, 56 anos, candidato pelo PSC de S. Paulo (Nº 2036), diz que quer se eleger deputado federal “porque tem pouco negro no cenário político e para contribuir com sua experiência de 18 anos na área pública e a participação em várias campanhas políticas.”
Gaúcho, ex-atleta do Internacional de Porto Alegre, radicado em S. Paulo há 29 anos, Obama – que adotou o nome político em homenagem e por inspiração no presidente norte-americano – é sociólogo, com especialização em Ciências e Técnias de Governo, e atua como funcionário da Casa Civil no Palácio dos Bandeirantes.
É também é produtor cultural, autor do espetáculo musicial “Opera Show Brasil Turis”, tem formação em Carnaval, Turismo e Negócios. Foi membro do Conselho Estadual de Participação da Comunidade Negra de S. Paulo.
Confira, na íntegra a entrevista, mais uma série série e que faz parte do esforço de Afropress para estimular o voto em candidatos negros e antirracistas a deputados estaduais, federais e senadores, em todo o Brasil nas eleições de 3 outubro. O espaço é aberto a todos candidatos comprometidos com esta agenda, independente de partidos, às 5ªs feiras e aos domingos.
Afropress – Por que é candidato a Deputado Estadual e quais são suas principais propostas se eleito?
Rosemar Barack Obama – Sou candidato porque tem pouco negro no cenário político, aliando uma experiência de 18 anos na área pública e várias campanhas políticas, trajetória iniciada com a eleição de Vital Nolasco, do PC do B.
Afropress – Como acompanhou o debate sobre o Estatuto da Igualdade Racial aprovado e qual a sua posição a respeito?
Barack Obama – A aprovação foi um pequeno avanço, enquanto o povo não for para as ruas protestar teremos reparações mínimas, mas outras estratégias devem ser usadas. O Poder Executivo deve estabelecer acordo com o Poder Legislativo para as medidas necessárias. Por outro lado nós negros deveremos planejar mecanismos para termos mais visibilidade em todas as áreas.
Afropress – Qual a sua posição em relação às cotas e ações afirmativas e se considera necessário o aperfeiçoamento do Estatuto aprovado e recém-sancionado pelo Presidente da República?
Barack Obama – As cotas são para a Universidade. Imaginem se fosse para a empregabilidade. Há um grande temor global em relação ao crescimento do negro. Vejam a história ou há um embranquecimento ou ele não tem uma sustentabilidade a começar pela separação da família e até seu assassinato.
As iniciativas da Educafro, Zumbi dos Palmares Estados e Municípios que estão aderindo as cotas estão produzindo um crescimento;
Afropress – Como se posiciona em relação aos assassinatos de jovens negros na cidade de S. Paulo, que ganharam a mídia com a morte dos dois motoboys e mais do ajudante de pedreiro Cristiano da Silva, nas mãos da Polícia Militar?
Barack Obama – Esses assassinatos tem chegado à mídia, mas os números são bem maiores; crianças, mulheres, nordestinos tem sofrido com a violência indiscriminada do homem, trazendo dores e lamentos para os nossos lares.
Afropress – Fale um pouco de sua trajetória pessoal e política e na importância da eleição de candidatos negros e anti-racistas nestas eleições.
Barack Obama – Sou gaúcho de Porto Alegre, há 29 anos em S. Paulo. Administrador com habilitação em Comércio Exterior, sociólogo, com especialização em Ciências e Técnicas de Governo. Servidor Público estadual, com 18 anos de experiência, servindo na Casa Civil – Palácio dos Bandeirantes.
Também sou produtor cultural, autor do espetáculo musical “Ópera Show Brasil Turis”, que idealizei com o maestro Josué Polia – o Projeto Musicalização Já. Tenho formação em carnaval, turismo e negócios. Fui dirigente, mestre sala e chefe de ala de Escola de Samba. Minha trajetória se iniciou como liderança estudantil no sul. Quase sempre era presidente, capitão nas atividades esportivas. Estranhei quando cheguei a São Paulo a diferença da esquerda do Rio Grande do Sul com a de São Paulo.
Sempre fiz campanhas, poucas partidárias, sempre privilegiei os mais próximos entre eles,Vital Nolasco, Miguel Tebar, Dalton Silvano, Roberto Casseb e outras que não valem a pena serem citadas.
O crescimento das candidaturas negras é visível. Deveremos unir as mídias focadas no negro e montarmos estratégias para termos nossa cota legítima de negros.
Afropress – Faça as considerações que julgar pertinentes.
Barack Obama – Devemos iniciar um processo de preparação para as eleições de 2012, com seminários, conferências para uma melhor preparação para o próximo pleito.
Minhas propostas como candidato são, entre outras: apresentação de projeto de Lei instituindo campanhas de Saúde Pública, periódicas de informação, orientação, educação, prevenção, capacitação e assistência às crianças e adolescentes, jovens, adultos e melhor idade, parcerias com faculdades, universidades, hospitais, clinicas especializadas, iniciativa pública e privada em locais de movimentação pública como feiras, mercados, parques entre outros; projeto de Lei isentando de impostos e premiando pessoas físicas e pessoas jurídicas que desenvolvam ações para preservação do Meio Ambiente.
Também defendo um Projeto de Lei criando o Bolsa Família Pensão. Ao invés de prender por 30 (trinta) dias o responsável pelo pagamento de Pensão Alimentícia, com custo médio de R$ 2 mil mensais, o Estado pagaria R$ 200,00 como Bolsa Família Pensão, valor médio das pensões alimentícias.
Acima desses valores seriam adotados critérios a serem estabelecidos, o devedor da pensão alimentícia, pagaria com serviços comunitários com critério e fiscalização a ser estabelecido, não causando os danos e custos de uma prisão temporária.
Também defendo a criação de sub-governadores nas Regiões Administrativas e ou de Governo, com dotação orçamentária, para desenvolvimento do orçamento participativo, legitimando a população nas decisões de governo; projeto de Lei, criando na Capital o Centro de Desenvolvimento Distrital, no interior os Centro de Desenvolvimento Municipal, com a participação de pessoas físicas e jurídicas, criando um mecanismo de ação conjunto para melhoria da qualidade de vida. O que temos nos distritos e municípios: Associação Comercial, Rotary, Lyon, Conseg, Hospitais, Postos de Saúde, entre outros; projeto de Lei estabelecendo prazos para os Estados e os Municípios promoverem concursos públicos para as áreas de saúde, educação e segurança pública que atendam devidamente a população, ou seja, o número suficiente de profissionais por habitantes, atendendo o que rege a Constituição Brasileira, na forma dos direitos.
Se eleito vou apresentar Projeto de Lei para Implantação de Sistema Integrado de Prontuário Eletrônico, habilitando a saúde privada à saúde pública onde o paciente possa verificar seus dados e registros das instituições de saúde privada nas instituições públicas e vice-versa, assim como o histórico do profissional de saúde.

Da Redacao