S.Paulo – O diretor executivo da Rede Educacafro – a maior rede de cursinhos pré-vestibulares para negros e indígenas do país – Frei David Raimundo dos Santos saiu em defesa da candidata do PT Dilma Rousseff, alvo de panfletos em que é acusada pela Regional Sul da CNNBB (Conferência dos Bispos do Brasil) de ser favorável ao aborto.
“Quando eles fazem panfletos contra Dilma, eles não estão seriamente defendendo a vida com total coerência. Eles estão defendendo com “unhas e dentes” um projeto de direita para o Brasil. Sabe por quê? Por que é o projeto deles! Se estes bispos fossem honestos e coerentes estariam colocando a mesma força na defesa contra o alto índice de mortes de adolescentes negros. Eles não “mexeram uma palha” em defesa do alto índice de mortes no Brasil em relação a adolescentes negros”, afirmou.
O Frei disse que os bispos que atacam Dilma são de direita. “Estão, na verdade, defendendo um projeto político de direita para o Brasil e é este o verdadeiro interesse deles. É o projeto com o qual eles se identificam e o defendem e querem impor a todos os católicos! Só que estão usando métodos desonestos. O povo não é bobo e não vai cair nesta arapuca. Usar o tema do aborto de maneira irresponsável é uma ofensa ao Reino de Deus. O tema do aborto precisa ser debatido com mais responsabilidade”, acrescentou.
O Frei também entrou na polêmica em torno da denúncia de que Mônica Serra, mulher de José Serra, o candidato tucano, teria feito aborto, de acordo com denúncia de uma ex-aluna, publicada pela colunista Mônica Bergamo, da Folha de S. Paulo, na semana passada.
“Se estes bispos fossem honestos e inteligentes saberiam que o candidato Serra orientou sua esposa Mônica Serra a fazer aborto! E o que é pior: a professora Mônica Serra usou uma sala de aula de uma Universidade Pública, construída com dinheiro público, para divulgar e tirar o medo de suas alunas de fazerem aborto. Isto é ético? Será que estes bispos de direita foram “enrolados” pela equipe do Serra ou eles sabiam de tudo? Porque aceitaram altas somas do PSDB para imprimir 18 milhões de panfletos contra Dilma?”, indaga.
Ele defendeu que o Ministério Público e o Tribunal Superior Eleitoral promovam uma sindicância para apurar o caso com todos os setores envolvidos. “Todo político que quer fazer um governo em sintonia com o povo, quando sofre a pressão do povo em algum tema, volta atrás e procura seguir a opinião do povo. É justamente isto o que vemos com a candidata Dilma. Ela ouviu o clamor do povo e está revendo suas posições sobre o aborto. Tem algo mais respeitoso com o povo do que isto?”, volta a perguntar para justificar a mudança de postura da candidata do PT, que, voltou atrás na defesa da discriminalização.
“Afinal, o que é mesmo que estes Bispos querem? É fazer seu grupo político assumir o governo sem eleição?”, concluiu com mais uma pergunta.
Leia, na íntegra, a entrevista concedida por Frei David, ao editor e jornalista responsável por Afropress, Dojival Vieira.
Afropress – Como está vendo o fato do aborto ter se tornado o principal item da pauta destas eleições. Tema imposto pelos setores da Igreja e evangélicos, incomodados com a defesa da descriminalização, que é feita por Dilma, mas também por Serra?
Frei David – Temos aí três aspectos graves para refletir: os bispos conservadores sabem que o poder de estabelecer leis no país é dos deputados federais e senadores e não do Presidente da República. Por que eles insistem em cobrar da Dilma algo que deveria ser cobrado dos deputados e senadores? O Presidente só tem o poder de assinar ou vetar uma lei, quando a julgar inoportuna.
Quando eles fazem panfletos contra Dilma, eles não estão seriamente defendendo a vida com total coerência. Eles estão defendendo com “unhas e dentes” um projeto de direita para o Brasil. Sabe por quê?
Por que é o projeto deles! Se estes bispos fossem honestos e coerentes estariam colocando a mesma força na defesa contra o alto índice de mortes de adolescentes negros. Eles não “mexeram uma palha” em defesa do alto índice de mortes no Brasil em relação a adolescentes negros.
Até dá para se perguntar, ao longo de suas histórias de bispos o que fizeram em prol dos negros que estão sofrendo o mais alto índice de matança provocada pela pobreza, por exemplo? A UNICEF, que não é dirigida por bispos conservadores, fez “500 vezes mais” do que estes bispos de direita em defesa dos direitos dos adolescentes negros.
O relatório lançado pela UNICEF denunciando a morte dos adolescentes negros no Brasil circula o mundo inteiro, menos nas dioceses destes bispos. O relatório provocou o nascimento de uma Ação Civil Pública,feita pela sociedade civil, em defesa destes indefesos adolescentes.
Um adolescente é tão indefeso quanto um feto. Será que os bispos não percebem isto? Por que não defendem os adolescentes também? Não dá voto? É este o motivo?
Estes bispos estão, na verdade, defendendo um projeto político de direita para o Brasil e é este o verdadeiro interesse deles. É o projeto com o qual eles se identificam e o defendem e querem impor a todos os católicos! Só que estão usando métodos desonestos. O povo não é bobo e não vai cair nesta arapuca. Usar o tema do aborto de maneira irresponsável é uma ofensa ao Reino de Deus. O tema do aborto precisa ser debatido com mais responsabilidade.
Se estes bispos fossem honestos e inteligentes saberiam que o candidato Serra orientou sua esposa Mônica Serra a fazer aborto! E o que é pior: a professora Mônica Serra usou uma sala de aula de uma Universidade Pública, construída com dinheiro público, para divulgar e tirar o medo de suas alunas de fazerem aborto. Isto é ético? Afinal, é um equipamento público! Será que estes bispos de direita foram “enrolados” pela equipe do Serra ou eles sabiam de tudo? Porque
aceitaram altas somas do PSDB para imprimir 18 milhões de panfletos contra Dilma? Este dinheiro está declarado? Onde?
Solicitamos ao Ministério Público e a TSE uma urgente sindicância com todos os setores envolvidos! Todo político que quer fazer um governo em sintonia com o povo, quando sofre a pressão do povo em algum tema, volta atrás e procura seguir a opinião do povo. É justamente isto o que vemos com a candidata DILMA. Ela ouviu o clamor do povo e está revendo suas posições sobre o aborto. Tem algo mais respeitoso com o povo do que isto? No entanto, estes bispos estão também criticando-a por mudar de opinião! Afinal, o que é mesmo que estes Bispos querem? É fazer seu grupo político assumir o governo sem eleição?
Afropress – Por que, apesar dos avanços nos últimos anos, o Movimento Negro não consegue sequer colocar na agenda do 2º turno o tema da desigualdade racial que é invisível para os candidatos?
Frei David – Há um conceito estranho, que habita a mente de todos os políticos negros e brancos: trabalhar o tema do negro faz perder voto! O candidato a senador Netinho estava trabalhando este tema com muita sabedoria.
Quem derrubou o Netinho não foi o uso do tema do negro na campanha e sim, as várias denúncias colocadas e pagas na imprensa, na reta final, sem ele ter tempo de se defender. Foi fulminante! Perdeu uma eleição que já era considerada consolidada. Para nós isto deveria ser investigado. Os eleitos têm os mesmos defeitos apontados contra o Netinho.
Fizeram o mesmo (derrubaram) a ministra Benedita da Silva, a Ministra Matilde e quase fizeram também com o Ministro do STF, Joaquim Barbosa. A classe dominante voltou a derrubar outro negro. Por que só os negros são punidos por seu erros? Queremos punição para todos!
Afropress – O que devemos fazer para que nossas questões apareçam para esses candidatos que devem assumir compromissos, antes de terem o nosso voto?
Frei David – A comunidade negra precisa ter lideranças fortes que possam alavancar a auto-estima do povo negro. Um povo que ama a sua cultura, a sua etnia, seus valores, acaba vencendo e tendo uma consciência de pertencimento. Os japoneses têm uma consciência de pertencimento. É justamente isto que precisamos desenvolver em nosso povo negro. Dando este passo iremos ter muitos negros/as eleitos/as.
Afropress – Como o senhor vê a disputa Serra/Dilma? Qual dos dois merece o voto dos negros brasileiros?
Frei David – Temos que ser pragmáticos. Vamos focar num tema para termos parâmetros seguros. Inclusão da população negra nas universidades. O projeto político do PSDB nestes 16 anos em São Paulo não teve interesse em fazer acontecer a inclusão do negro na USP, UNESP e UNICAMP. Nestas três universidades estaduais, na Medicina, por exemplo, a ausência da população negra é total! É um escândalo! A omissão do governo foi total. E,olhem: não é por falta de pressão da nossa comunidade negra.
Já nos reunimos com o Governador, reitores e até invadimos a reitoria, a Faculdade de Direito etc.. Apanhamos muito da polícia, muito gás lacrimogêneo no rosto etc, exigindo a inclusão. Nada mudou! Eles não querem ver o negro na Medicina, no Direito etc.
O negro só pode entrar em cursos onde os ricos não querem entrar – Geografia, Serviço Social… O outro projeto que está em jogo chama-se PT. Possui falhas? Sim, como todos os outros projetos políticos e todas as Igrejas também as têm.
No entanto, nestes 8 anos de projeto PT, entraram mais negros/as pelas cotas e pelo Pro-Uni nas universidades do que em todos os 100 anos anteriores juntos.
Um negro que luta pela mobilidade de seu povo e é honesto, não pode ter dúvidas disto. Sabe muito bem qual é o projeto político que já beneficiou seu povo, de maneira digna investindo em seu futuro. Negro bom só vota em projetos políticos que, no poder, provaram querer o nosso progresso enquanto povo. Projetos políticos omissos com as políticas públicas voltadas para o povo negro não merecem o nosso voto.
Afropress – O senhor estaria disposto a pedir uma audiência com ambos para entregar um programa de reivindicações que represente o ponto de vista dos negros que não pertencem nem ao PT nem ao PSDB que, aliás, são a imensa maioria?
Frei David – Já entregamos à equipe do Serra e da Dilma as propostas de uma grande parte do segmento da comunidade negra. Entregaremos com muito prazer outras propostas que representam outros segmentos de nossos irmãos negros que militam em outras ideologias partidárias.
Afropress – Faça as considerações que julgar pertinentes.
Frei David – A corrupção é um tema muito difícil. Por mim todo o corrupto, de qualquer partido, tem que estar preso e esperar julgamento preso. Se provar a honestidade o Estado o indeniza. Só endurecendo com este tipo de gente é que iremos diminuir a corrupção no Brasil.
Culpar o líder máximo pela corrupção, corre-se o perigo de ingenuidade. Por quê? Basta avaliar a trajetória de Jesus: escolheu a dedo seus auxiliares e mesmo assim, teve corruptos em sua equipe.
Olhando o jornal Folha de São Paulo, de 13 de setembro de 2010, e fazendo uma busca no Google encontramos a informação de que, nos últimos 8 anos a Polícia Federal prendeu mais vereadores, prefeitos, deputados estaduais, deputados federais e senadores do que nos últimos 100 anos.
Bem, o projeto político do PT está se esforçando para combater a corrupção. O processo não está mais eficiente porque grande parte do aparato que forma a Justiça no Brasil está contaminada pela corrupção.
Exigimos uma urgente reforma judiciária, reforma política e reforma educacional no Brasil, como uma das ferramentas urgentes para fazer surgir o Brasil dos nossos sonhos.

Da Redacao