S. Paulo – Reportagem do The Wall Street Journal, um dos mais prestigiados jornais norte-americanos, destaca a disputa sucessória entre as candidatas Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva, do PSB, e apresenta a ex-ministra do Meio Ambiente, como "negra, filha de seringueiros da Amazônia", para exaltar a mudança de visão nas relações raciais do país que foi o maior importador de negros escravizados para as Américas e o último, no mundo, a abolir esta prática.

A reportagem, assinada pela jornalista Loretta Chao, enfatiza que a possibilidade real da eleição de um presidente (no caso uma presidente negra) está atraindo comparações com a eleição do presidente Barack Obama e remete às dramáticas mudanças econômicas e ideológicas ocorridas no Brasil na última década. Lembra que, sob os governos Lula e Dilma “milhões de negros brasileiros ascenderam da pobreza por meio de programas de bem-estar, bolsas de estudos e as leis que criaram cotas para negros nas universidades”.

Para a matéria a jornalista entrevistou o demógrafo José Eustáquio Diniz Alves, da Escola Nacional de Ciências Estatísticas do IBGE, Adriana Barbosa, criadora e organizadora da Feira Preta e o jornalista Dojival Vieira, editor de Afropress.

Veja a reportagem na íntegra:

http://online.wsj.com/articles/black-candidates-rise-in-brazil-reflects-shifting-views-on-race-1411773807

Da Redacao