S. Paulo – “Vencemos uma batalha na luta pela igualdade racial na cidade de São Paulo institucionalizando a Secretaria de Promoção da Igualdade Racial. Agora vamos para a próxima batalha, que é ter prioridade orçamentária. E continuaremos na luta!”. Dessa forma o Secretário da Igualdade Racial da Prefeitura, José Neto de Paula, Netinho, reagiu a aprovação pela Câmara Municipal do projeto que cria a Secretaria como órgão da Administração Direta.

O projeto criando a Secretaria Municipal de Promoção da Igualdade Racial (SMPIR) foi aprovado pela Câmara, onde o prefeito Fernando Haddad, do PT, tem folgada maioria, com 38 cargos de livre preenchimento do secretário, porém, sem definição de orçamento.

A definição dos recursos que serão colocados à disposição de Netinho para implementar as políticas públicas para a população negra paulistana, está sendo alvo de intensa disputa nos bastidores da Prefeitura, porque a Secretaria de Planejamento trabalha com números, considerados muito inferiores ao mínimo necessário.

Segundo fontes ligadas a Secretaria, ele considera que R$ 38 milhões para 2.013 será o mínimo para tocar ações necessárias, contudo, há resistências por parte da Secretaria de Planejamento.

O prefeito Fernando Haddad deverá dar a última palavra, porque a criação da Secretaria da Igualdade Racial foi promessa do Plano de Governo do PT e não faria sentido criá-la para ter “papel apenas simbólico”, no dizer de um ativista com trânsito no movimento negro e na administração.

Por outro lado, a própria ida de Netinho para o cargo atendeu a articulações do seu Partido, o PC do B, pelo qual se elegeu vereador pela segunda vez, para acomodar na Câmara o ex-ministro dos Esportes, Orlando Silva, que ficou na primeira suplência nas eleições.

 

 

Da Redacao