Rio – A atriz e cantora Zezé Motta, presidente de honra do CIDAN (Centro Brasileiro de Informação e Documentação do Artista Negro), se disse indignada com o que chamou de “massacre” ao ator Miguel Falabella, diretor do seriado “O Sexo e as Negas”, da TV Globo, que vem sendo duramente atacado por grupos do feminismo radical negro.

“Minha indignação com o massacre, a injustiça que estão fazendo com Miguel Falabella, esquecendo que Miguel Falabella, é nosso amigo, nosso parceiro, nosso aliado”, afirmou. Segundo Zezé “as pessoas estão se prendendo a alguns detalhes, esquecendo que essas mulheres existem”. “Não é ficção, não”, acrescentou.

O CIDAN é um catálogo para atores brasileiros afrodescendentes no mundo. Zezé, que se tornou conhecida pelo seu mais importante trabalho, o filme "Chica da Silva", de Cacá Diegues, é também fundadora da entidade.

“Eu quero muito que Sexo e as Negas tem a segunda temporada, terceira temporada, quarta temporada para que eu continue me emocionando todas as terças feiras com a garra, a beleza e o talento dessas negras”, concluiu.

Confira o depoimento da cantora e atriz

http://youtu.be/w5obM4Uyiz8

Da Redação