S. Paulo – Além de ter sido a maior manifestação negra e anti-racista já realizada em S. Paulo, a Parada Negra que aconteceu na segunda-feira, 20 de Novembro, reunindo cerca de 20 mil pessoas (12 mil segundo a PM) mobilizadas por ativistas do Movimento Brasil Afirmativo e por organizações como a Unegro, Conen, e outras cerca de 60 entidades de S. Paulo, também foi destaque na grande imprensa.
Todos os jornais do país abriram espaço para a manifestação que tomou a Paulista e a Brigadeiro Luiz Antonio terminando no estacionamento da Assembléia Legislativa de S. Paulo.
A Parada também foi manchete em todos os principais telejornais do país. Globo, Bandeirantes, Record, SBT e Cultura fizeram chamadas da manifestação na Paulista, inclusive com entrevistas das lideranças.
Jornais como a Folha de S. Paulo, por exemplo, abriram na primeira página a chamada com quatro fotos da manifestação “Consciência Negra”, seguida da legenda: “Integrantes da Parada Negra, que reuniu 12 mil pessoas, segundo a PM, em comemoração do Dia da Consciência Negra, em S. Paulo; entre as reivindicações dos participantes, estavam a melhoria da escola pública e a adoção de cotas para negros em universidades, além da votação do Estatuto da Igualdade Racial”. A manchete da página 4 do Caderno Cotidiano, também com fotos é: “Parada Negra reúne 12 mil em S. Paulo”.
A chamada do “Estadão” seguiu no mesmo tom: “Parada Negra: Festa na Avenida Paulista”, com uma foto e uma legenda cem que diz que “O Dia da Consciência Negra atraiu cerca de 12 mil pessoas numa caminhada de 3 km em S. Paulo, a partir da Avenida Paulista”.
A Parada Negra também foi notícia em todos os grandes e médios jornais do país, com material distribuído pelas Agências – como a Agência Brasil, da Radiobrás – e teve destaque na imprensa partidária. A Agência Carta Maior, em matéria assinada pelo repórter Rafael Sampaio, abriu manchete: “Parada Negra reúne milhares em SP e defende cotas nas universidades”.
O Vermelho On line, a página do PC do B na Internet destacou. “Ao menos 12 mil ocupam a Avenida Paulista na 1ª Parada Negra”. Em matéria assinada pelo jornalista André Cintra, entrevistas com Edílson de Paula Oliveira, da CUT/SP, Eduardo de Oliveira, presidente do CNAB, e o editor de Afropress, jornalista Dojival Vieira.
A página do Diretório Nacional do PT também destacou a Parada com a seguinte manchete: “Consciência Negra: Marchas e debates marcam comemoração no país”. A página do PT traz entrevistas com Flávio Jorge, da ONG Soweto e da Coordenação Nacional de Entidades Negras, e também com o editor de Afropress.

Da Redacao