S. Paulo – Lideranças, ativistas e simpatizantes do Movimento Brasil Afirmativo se reúnem neste sábado (17/11) no Aristocrata Clube (Rua Álvaro de Carvalho, 118 – Centro (próximo ao Metrô Anhangabaú), para a última reunião preparatória da Parada Negra deste ano na Avenida Paulista. A reunião será das 10h às 13 hs e será encerrada com uma feijoada de confraternização.
A Parada acontecerá às 12h, no Vão do MASP da Avenida Paulista na próxima terça-feira, 20 de Novembro – Dia Nacional da Consciência Negra. No ano passado, cerca de 20 mil pessoas participaram da manifestação.
Sectarismo e divisão
Nesta quarta-feira (14/11), na sede do Ceabra, fracassou mais uma tentativa de unidade dos organizadores da Parada Negra com as lideranças da IV Marcha, que não aceitam conversar nem mesmo sobre a importância de uma Coordenação única para conduzir a agenda de apresentações culturais e o roteiro. O Movimento Brasil Afirmativo já aceitou fazer o mesmo roteiro – da Avenida Paulista até o Teatro Municipal – visando a unidade de todas as forças que participarão do ato.
Na reunião, todas as falas foram contrárias a unidade e alguns mais exaltados, como Rafael Pinto, da Afubesp, chegaram a propor “medição de forças”. Os ativistas Eufrate Almeida e Devair Gonçalves, que compareceram em nome do Brasil Afirmativo, defenderam a unidade na reunião, porém, sem sucesso. “Nós vamos continuar até o fim defendendo a união de todas as forças”, afirmaram. (Veja editorial Afropress).
Apoio e mobilização
Enquanto isso, prossegue a mobilização para a Parada Negra, com a adesão de setores importantes, inclusive do Movimento Sindical. O Presidente do Sindicato dos Comerciários e da União Geral dos Trabalhadores, Ricardo Patah, manifestou apoio à manifestação na Paulista, sem entrar no mérito de divisões internas e disse que ativistas do Sindicato estarão presentes com caminhão de som e faixas de apoio.
Também o Sindicato dos Trabalhadores Públicos da Saúde (Sindsaúde) e a Federação das Mulheres Paulistas, entidade que tem fortes laços com o Congresso Nacional Afro-Brasileiro anunciaram a adesão à Parada Negra e a manifestação na Paulista.
O coordenador do Fórum SP da Igualdade Racial, Frei Antonio Leandro da Silva, da Rede Educafro, disse que estará na manifestação porque entende que o mais importante é a união do povo negro no dia 20 de Novembro.
O Fórum SP que mobiliza a sociedade para pressionar o Congresso a votar o Estatuto, o PL 73/99 e a PEC 02/2006, montará bancas de coleta de assinaturas durante a concentração no Vão do MASP na Paulista.

Da Redacao