S. Paulo – O líder evangélico Marco Davi de Oliveira, pastor da Igreja Batista do Parque Dorotéia, em Diadema, S. Paulo, reagiu assim a eleição nesta quinta-feira (07/03) do pastor Marco Feliciano, da Igreja Assembléia de Deus e do PSC (partido da base do Governo Dilma) – declaradamente racista e homofóbico – para presidir a Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados.

“Sou negro e por isto louvo ao meu Deus. Mas, tenho a certeza que não sou amaldiçoado e nem meu povo como afirmou o agora presidente da Comissão de Direitos Humanos do Brasil. Na verdade,sinto-me desrespeitado duplamente. Primeiro, por ler as afirmações racistas deste homem. Segundo, por vê-lo como lider de uma comissão tão importante para todos os brasileiros”, afirmou.

Marco Davi, que é autor do livro “A religião mais negra do Brasil”, em que denuncia a discriminação contra negros no meio evangélico, disse se sentir “completamente envergonhado em ter de pronunciar o nome deste deputado”. “Que o Senhor tenha misericórdia de nós brasileiros. Que Ele tenha misericórdia da população negra deste país. E que este deputado tenha a coragem e a elegância (se é que isso é possível) de vir a público e pedir perdão a todos os negros e negras do Brasil. Isso seria uma ação do Evangelho de Cristo”, finalizou.

Da Redacao